Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Museu Nacional

 

 

Museu Nacional. Fotos: Júnior Aragão/SECDF

 

 

 

PROGRAMAÇÃO DE NOVEMBRO

 

 

 

 

A colônia, o império e a república do país se unem em exposição inédita no Museu Nacional da República. Entre os dias 15 de novembro e 6 de janeiro, o público poderá transitar pela memória nacional e conferir fotos de Bento Viana e Åke Borglund na mostra Capitais do Brasil, que também contará com poemas e projeções. A exposição retrata as três cidades que abrigaram a sede dos poderes do Brasil: Salvador, Rio de Janeiro e Brasília além de promover experiências sensoriais e interativas ao público ao mostrar diferentes formas de enxergar o país e interpretá-lo.

 

SERVIÇO

Exposição Capitais do Brasil

Abertura: 14/11, às 19h0

Visitação: 15 de novembro a 6 de janeiro

Horário: terça a domingo, das 9h às 18h30

Local: Museu Nacional da República (Eixo Monumental), Galeria do Térreo

Informações: (61) 3325-5220

Visitas escolares agendadas pelo telefone (61) 98350-1166

Site: www.capitaisdobrasil.com.br

Entrada franca

Classificação indicativa livre

Evento acessível para braile e libras

 

 

 

A ilustração tem lugar no Museu Nacional da República, na galeria Conexão 20, com a exposição Uma História Ilustrada, do desenhista Luigi Pedone. O artista apresenta obras em aquarela com temas variados como mapas, paisagens e personagens em cenas históricas, em 18 obras produzidas em um período de cinco anos.

Luigi Pedone desenvolveu seus estudos desde muito jovem no Espaço Cultural 508 Sul, na Oficina de HQ, sob a coordenação do saudoso artista Mario Luiz Belcino Maciel, o Marel, ao qual referencia como um grande mestre.

 

SERVIÇO

Exposição Uma História Ilustrada

Abertura: 13/11, às 19h30

Data: até 06/01/2019

Horário de Visitação: Terça-feira a domingo, das 9h às 18h30

Local: Galeria Conexão 20 do Museu Nacional da República, Brasília – DF

Entrada Franca

 

 

Exposição CHICO MENDES HERÓI DO BRASIL

 

O Museu Nacional da República recebe, no dia 07 de novembro (quarta-feira), às 19h, a exposição CHICO MENDES HERÓI DO BRASIL – uma memória a honrar, um legado a defender.

 

A mostra apresenta a história de Chico Mendes na defesa da Amazônia e dos povos que nela vivem, através de fotos, mapas e utensílios usados pelos extrativistas da floresta, além de vídeos retratando os ideais do seringueiro.O legado deixado pelo herói às gerações presentes e futuras está nesta exposição, que faz também uma homenagem a trinta mulheres e homens, entre as milhares de pessoas assassinadas nas últimas décadas no Brasil, em decorrência da luta pela terra.

Estarão presentes na abertura do evento: o líder seringueiro Raimundo Mendes de Barros (primo de Chico), a ambientalista Angela Mendes (filha de Chico), o presidente do Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS) Joaquim Belo, a presidenta do Sinpro/DF Rosilene Corrêa, a antropóloga Mary Allegretti e a atriz Lucélia Santos.

 

 

SERVIÇO

Exposição Chico Mendes Herói do Brasil

Abertura: 7/11, às 19h

Data: 7 de novembro a 9 de dezembro de 2018

Horário de Visitação: Terça-feira a domingo, de 9h às 18h30

Local: Sala 02 do Museu Nacional da República, Brasília – DF

Entrada franca

 

 

O Museu

 

O Museu Nacional é integrante do Conjunto Cultural da República. É um espaço que insere Brasília no circuito internacional das artes e mostra o que há de melhor na arte brasileira. O espaço é utilizado para exposições itinerantes de artistas renomados e temas importantes para a sociedade, palestras, mostra de filmes, seminários e eventos importantes. Dessa forma, contribui para a educação democrática por meio da cultura e ativa o turismo.

Museu Nacional

 

Endereço: Setor Cultural Sul, lote 2, próximo à Rodoviária do Plano Piloto – Zona 0.
Horário de visitação: Terça-feira a domingo, das 9h às 18h30.
Telefones: (61) 3325-5220 e 3325-6410
Fax: (61) 3325-5220
E-mail: museunacional@gmail.com

 

História 

 

O Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, obra de Oscar Niemeyer, localizado na Esplanada dos Ministérios, foi construído exclusivamente com recursos do GDF. O Conjunto Cultural da República constituído de vários equipamentos culturais inclui, principalmente, a Biblioteca e o Museu Nacional, idealizados por Lucio Costa e previstos desde o final da década de 1950.

 

Segundo a designação do Relatório do Plano Piloto de Brasília1, elaborado em 1957 por Lucio Costa, o Museu Nacional foi construído para integrar o Setor Cultural Sul da Nova Capital.Concluído em 2006, o Museu Nacional representa uma síntese arquitetônica da alta modernidade que compõe os monumentos da Esplanada. Sua construção teve início em 1999 e sua inauguração deu-se em 15 de dezembro de 2006, com uma exposição sobre a obra de Oscar Niemeyer.

 

O Conjunto Cultural da República ocupa o espaço de 91.000 m², sendo 11.000 m² em área edificada.

 

 

Missão

 

Instituição museal que tem como missão elevar e revelar ao maior número de pessoas possível, a cultura visual contemporânea, com vistas também no seu incentivo, difusão e seu reconhecimento pleno como um bem cultural universal, que deve ser preservado e democratizado.Pautado pela liberdade de expressão, este museu visa ainda, abrigar manifestações culturais diversas, que venham contribuir para a pesquisa e a experimentação das diversas linguagens artísticas e culturais, com vistas no seu fomento, difusão e facilitação ao seu acesso, por meios formativos e informativos ágeis, globais e sócio-educativos.

 

 

Arquitetura

 

Concebido por Oscar Niemeyer, o Museu Nacional tem um formato semi-esférico. A cúpula mede 25 m de raio, a base 32,6 m de raio e ele tem 26,25 m de altura. Sua área total é de 15.000 m². Seu interior é dividido em quatro pavimentos: subsolo, piso térreo, piso superior para exposições e mezanino. No pavimento superior, com acesso independente por meio de duas rampas, está a grande área de exposições com um vão inteiramente livre de 3.203,19 m², exclusivamente destinado a realizações de mostras.

 

Acima deste vão está o mezanino, que é uma plataforma de 719,63m² e a ele estão ligadas as rampas e elevadores provenientes do expositivo, mais a plataforma de carga e a escadaria de serviço. No piso térreo encontra-se uma das entradas principais do prédio que dá acesso ao auditório maior (700 lugares) e a outro menor (85 lugares). Ainda neste espaço encontra-se a Galeria do térreo que recebe exposições de pequeno porte. As manifestações culturais também ocorrem na área externa do Museu, que é circundado por três espelhos d’água.

 

A estrutura do prédio é toda em concreto, e sua cobertura, também é de concreto, o que gera uma estrutura dupla. A face externa da cúpula recebeu impermeabilização contra água e ressecamento, antes da pintura, toda na cor branca. A face interna da calota, visível do expositivo e mezanino, foi recoberta com placas de gesso; a parte inferior foi pintada com tinta à base de água e a parte superior coberta por revestimento acústico. A iluminação ambiente é indireta, feita por reflexão, a partir do piso de um grande lustre central.

 

 

 

Agendamento de Visitas – Grupos escolares

 

O agendamento de visitas escolares deve ser feito no telefone divulgado pela produção do evento, no caso de haver programa educativo próprio, ou no telefone do Museu Nacional. O funcionamento do Museu é de terça a domingo, de 9h às 18h30. Contatos: 3325 5220 e 3325 6410. É orientado aos professores ou guias que, antes de agendar sua visita, procurem:

 

1 – Saber os dias e horários disponíveis e a duração da visita;

2 – Sempre que possível, ir ao Museu para conhecer as exposições, atividades – oficinas, sessão de vídeo – e serviços oferecidos – monitoria, espaço para lanches, sanitários, estacionamento.

3 – Seguir as normas de visitação para a realização de um bom trabalho: não é permitido correr, gritar, fazer refeições ou fumar. Evitar que os alunos portem bolsas, mochilas ou sacolas. Alguns objetos são exibidos fora de vitrines, mas isso não significa que podem ser tocados. Em geral, não é permitido fotografar ou filmar as exposições, a não ser quando há autorização expressa pela produtora responsável.

4 – No dia da visita, procurar chegar com certa antecedência. Se houver imprevistos, avisar aos funcionários do Museu. Antes de sair com a turma verificar se todos estão levando água, lanche e material. Durante o trajeto procurar falar sobre as normas de visitação e alertar os alunos para os cuidados em relação ao acervo.

 

Agendamento de Visitas – Aspecto arquitetônico

 

O Museu Nacional oferece visitas guiadas para contemplação dos aspectos arquitetônicos da obra de Oscar Niemeyer. Os interessados devem agendar a visita por telefone e informar o número de pessoas do grupo.

Contato: 3325-5220 e 3325-6410.

Observação: Quando a visita coincidir com alguma exposição e houver a proibição por parte da produção, solicitamos que não sejam tiradas fotografias nem feitas filmagens durante a visitação.