Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/06/16 às 17h28 - Atualizado em 13/11/18 às 14h50

Libertação humana a partir do tarô

COMPARTILHAR

Espetáculo apoiado pelo FAC tematiza essência feminina

A essência feminina traduzida nas cartas e representações do tarô. Essa é a proposta do espetáculo “Alma Lavada”, que trará, no centro da trama, oito mulheres. Elas serão os pilares de um enredo sobre o processo de descoberta e de libertação humana, a partir do rompimento das amarras dos estereótipos.

Com pré-estreia nesta sexta (24), no Gama, em duas sessões: às 18h, e, às 20h30, a encenação unirá elementos das artes cênicas e da dança, com objetivo não apenas de tocar o observador, mas de transformá-lo – independentemente do gênero.

O papel feminino na sociedade e o processo de envelhecimento serão outros pontoschave da história. “Quando chega em certa idade, a mulher vive o drama de achar que não é mais útil. E a nossa ideia é, exatamente, descontruir isso”, explica Márcia Gomes, idealizadora do espetáculo.

Além dos diálogos, a história será contada por meio de diferentes estéticas. Entre elas, o jazz, a dança de salão, e dança contemporânea. Projeções de vídeo complementarão as narrativas. A simbologia do tarô será apresentada a partir dos elementos: água, fogo, ar, terra. E das representações nas cartas: a sacerdotisa, a imperatriz, a força e a morte.

As apresentações gratuitas terão duração de 60 minutos. O projeto tem a chancela do Fundo Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Ao todo, serão seis encenações, em diferentes regiões do Distrito federal.

Serviço

O quê: Espetáculo Alma Lavada

Quando: Sexta (24 de junho), Teatro Paulo Gracindo, no Sesc do Gama, em duas sessões, às 18h, e, às 20h30; 

Dia 13 de julho, Teatro Newton Rossi, no Sesc de Ceilândia, em duas sessões, às 16h, e, às 20h;

Dia 7 e 8 de julho, Teatro Mapati, na 707 Norte, Bloco K, em uma sessão, às 20h30

Entrada franca

Classificação indicativa 12 anos