Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/09/15 às 19h55 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Lei de Incentivo à Cultura (LIC)

COMPARTILHAR

Rodada de Negócios apresenta metodologia inovadora

Brasília (28/9/2015) – Na tarde da sexta (25), dezenove produtores culturais e artistas das mais diversas áreas de atuação tiveram uma oportunidade inédita de participar da 1ª Rodada de Negócios da Lei de Incentivo à Cultura (LIC). Na ocasião, dentro do auditório do Memorial JK, representantes de sete empresas de grande porte ouviram as apresentações dos projetos culturais para fechar um futuro patrocínio. “Essa é uma metodologia inovadora. Pela primeira vez no Brasil há uma rodada em que proponentes podem apresentar os projetos diretamente para o empresariado”, destaca a secretária-adjunta da Secretaria de Cultura do DF, Nanan Catalão, que abriu o evento.

Para o subsecretário de Fomento e Incentivo Cultura, Thiago Rocha, a Rodada de Negócios fortalece a LIC. “É uma lei muito nova, que ainda está se consolidando, mas que já cria uma cultura de patrocínio, rompendo com o estigma de que o DF não produz cultura”, reforça.

Vale ressaltar que os projetos apresentados na rodada foram pré-selecionados no Banco de Propostas (disponível para cadastro de proponentes e de empresas interessadas no site www.sufic.df.gov.br). Esse modelo de fazer uma triagem permite uma possibilidade de ampliação de acesso do produtor às empresas. Segundo o gerente de Patrocínio do BRB, João Eduardo Silveira, essa ação da Secretaria de Cultura dá corpo, oportunidade e visibilidade aos projetos. “A rodada é uma forma muito interessante de a nossa instituição conhecer novas iniciativas na área cultural que é tão importante para a cidade”, reconhece.

O produtor cultural Alceu Avelar, do projeto Batucadeiros, elogia a Rodada de Negócios como curta e objetiva. “Para esse primeiro momento a ação foi muito assertiva”, diz Avelar, cujo projeto tem cunho socioeducativo, voltado para atender famílias com oficinas de arte em conexões nas áreas de música, educação e convívio familiar. Ari de Barros, que há trinta anos produz o festival Ferrock disse que foi uma experiência positiva. “É uma iniciativa nova, que ainda estamos nos acostumando, mas que me surpreendeu muito”, aponta.

Além do BRB, participaram da rodada a Petrobras, a Bancorbras e mais quatro empresas que já são incentivadoras: O Boticário, O Imóvel, OI SA e Caixa Econômica Federal. A cerimônia contou com a presença da secretária-adjunta, Nanan Catalão; o subsecretário Thiago Rocha; e o deputado distrital Claudio Abrantes.

A LIC se consolida como um dos principais mecanismos de financiamento cultural. Só em 2014 e em 2015 foram investidos R$ 10 milhões, que permitiram a contratação de duas mil pessoas, envolvendo toda a cadeia produtiva e fortalecendo a economia criativa no Distrito Federal.