Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/03/14 às 0h28 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Jovens e adolescentes se divertem ao som do frevo e música baiana

COMPARTILHAR


Menino de Ceilândia e Baratona levam milhares de pessoas às ruas 

Um público formado em sua maioria por jovens e adolescentes tomou conta das ruas de Ceilândia e Plano Piloto com os blocos de rua Menino de Ceilândia e Baratona. Apesar da distância entre os dois, ambos nasceram com o intuito de ajudar essa faixa etária da população com mensagens educativas e de conscientização sobre temas polêmicos como sexo, drogas e direção perigosa.

No começo da tarde deste domingo (2), por volta das 14h, famílias já se concentravam na CNM 1, Ceilândia Centro, para prestigiar quase duas décadas de existência do Menino de Ceilândia. Ao som das tradicionais marchinhas de carnaval, o bloco seguiu em passeata pelas principais avenidas da cidade e deve retornar às 20h30 ao local inicial, onde começarão as apresentações de DJs e bandas locais com frevo até de madrugada.

“Este ano resolvemos homenagear a cultura negra, principalmente por causa do frevo, que é nosso carro-chefe. Esperamos um público maior que o do ano passado, que levou às ruas mais de três mil pessoas, isso porque a organização e divulgação foram melhores. A novidade deste ano é a troca de camisetas do bloco por um quilo de alimento, que será doado para três instituições carentes da cidade”, afirmou o presidente do bloco, Ailton Velez.

Horas mais tarde, por volta das 17h, outro grupo de jovens amantes da música baiana se reuniu no Eixão Sul para curtir a famosa Baratona. Com o tema voltado para a Copa do Mundo, a grande novidade deste ano ficou por conta da cantora Carol, que veio diretamente de Belo Horizonte para alegrar a folia na capital. Do local de concentração, todos seguirão para o Gran Folia.

“Esperamos um público de mais de 80 mil pessoas no primeiro dia de folia da Baratona, isso porque é um dos dias mais fracos em relação a todos os quatro dias de carnaval. Mais do que tivemos no ano passado. A promessa do bloco é levar muita animação a esses adolescentes, que muitas vezes ficam sem opção de diversão durante o ano”, ressaltou, com empolgação, a organizadora do bloco, Esmeralda Penha.

A administradora Fabiana Peruche, de 35 anos, ficou sabendo do carnaval pelo panfleto do GDF e resolveu curtir a folia com duas amigas. “Achei bem diferente. Não imaginei que tinha uma estrutura de carnaval assim aqui em Brasília. Achei até bom não viajar este ano para prestigiar uma festa desse jeito aqui e saber que nos próximos anos teremos essa opção para curtir o feriadão”, analisou.

Menino de Ceilândia

O bloco foi fundado em 1995 com a ideia de suprir a falta de entretenimento e atividades culturais da cidade e que fosse acessível à comunidade. Para o primeiro desfile na rua, foi confeccionado um boneco gigante batizado de Menino de Ceilândia, como homenagem aos adolescentes que na época estavam se tornando pais.

Baratona

Criado pelo pernambucano Luiz Lima em 1978, o bloco atrai foliões fiéis, formados em sua maioria por jovens e adolescentes. Umas das maiores preocupações dos dirigentes e organizadores é levar a esse público informações educativas para conscientizá-lo sobre a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e alertar quanto ao uso de bebidas e drogas e direção perigosa.