Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/07/16 às 18h27 - Atualizado em 13/11/18 às 14h50

III Bienal do Livro e da Leitura será em outubro

COMPARTILHAR

Maior evento literário da região central do Brasil anuncia seu conceito e convidados

As questões mais latentes do debate contemporâneo estarão contempladas na terceira edição da Bienal Brasil do Livro e da Leitura, lançada oficialmente nesta manhã (27), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O evento, que acontece de 21 a 30 de outubro, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, é uma realização do ITS – Instituto Terceiro Setor e conta com apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Distrito Federal, do Governo Federal e de empresas da iniciativa privada.

Na ocasião do lançamento, o secretário de Cultura, Guilherme Reis, reforçou o compromisso da pasta com o setor. “Temos o privilégio de, neste ano, poder olhar com mais carinho para o setor do livro e da leitura. Levamos o I Circuito de Feiras do Livro do DF a nove regiões administrativas, apoiamos a 32ª Feira do Livro de Brasília, lançamos novos livros pelo FAC e conseguimos apoiar a 1ª Jornada Literária de Brasília, que foi linda. Esta terceira Bienal, para nós, coroa este momento bonito de avanços de política pública de cultura nesta área”, diz.

A III Bienal Brasil do Livro e da Leitura terá apoio da Secretaria de Cultura em estrutura e contratações artísticas. Neste ano, como tem sido uma marca do evento, serão dois homenageados. De um lado, o pensador português Boaventura de Sousa Santos, uma referência mundial no campo da ciência social, impulsionador e um dos maiores responsáveis pela criação do Fórum Social Mundial. E do Brasil, a grande poetisa Adélia Prado e sua escrita feminina, pungente, que evoca o transcendente da vida cotidiana. Ambos estarão em Brasília e participarão de encontros com a plateia.

Com direção geral de Nilson Rodrigues e produção executiva de Eduardo Cabral, a Bienal promoverá atividades com cerca de 120 escritores convidados, 100 sessões de autógrafos e lançamentos de livros, 80 sessões de contação de histórias, 40 apresentações teatrais, além de 10 shows musicais de artistas nacionais e do Distrito Federal. Estão confirmadas presenças de autores como a mexicana Guadalupe Nettel, o inglês Theodore Dalrymple, a portuguesa Raquel Varela e o norte-americano Glenn Greenwald, dentre os estrangeiros, e os brasileiros Renato Janini, Leandro Karnal, Marica Tiburi, Viviane Mosé e Fernando Moraes. Na curadoria, os escritores Pedro Tierra, José Rezende e Nicolas Behr, a tradutora Lídia Luther e o diretor da Bienal, Nilson Rodrigues.

O evento que coloca a capital brasileira no mapa do ambiente literário internacional irá ocupar, em 2016, as instalações do Estádio Mané Garrincha, com acesso público e gratuito. Cerca de 170 expositores, desde pequenas livrarias até representantes das principais editoras do país, prometem oferecer um vasto panorama de títulos nacionais e estrangeiros, possibilitando a aquisição de livros a preços mais módicos do que os praticados no mercado. E espetáculos nas áreas de música, teatro, dança e contação de histórias oferecerão atividades para visitantes de todas as idades. Dentre os destaques, apresentações de peças protagonizadas por Jonas Bloch – 'O delírio do verbo', inspirado em poemas de Manoel de Barros –, Paulo Betti (com um monólogo autobiográfico) e Arnaldo Antunes, que prepara um espetáculo especialmente para a Bienal.

PEQUENO RESTROSPECTRO

A Bienal aconteceu em 2012 e 2014, com entrada gratuita, em áreas cobertas e climatizadas especialmente montadas na Esplanada dos Ministérios. Passaram pelos corredores, auditórios e estandes do evento, em cada ano, mais de 300 mil visitantes e cerca de 70 mil estudantes da rede pública de ensino. As vendas, somando as duas edições, superaram R$ 16 milhões, a partir da comercialização de mais de 785 mil livros.

Em sua primeira edição, a iniciativa homenageou o primeiro autor africano a ganhar o Prêmio Nobel de Literatura, o nigeriano Wole Soyinka, e o brasileiro Ziraldo. Já em 2014, foram homenageados o uruguaio Eduardo Galeano e o mestre pernambucano Ariano Suassuna. Além destes, mais de 300 (trezentos) escritores, brasileiros e estrangeiros, representantes de mais de 60 países, participaram das duas edições, em debates, seminários e sessões de autógrafos. Foram nomes como o poeta argentino Juan Gelman, a escritora norte-americana Alice Walker, o moçambicano Mia Couto, o chileno Antonio Skármeta, o cubano Leonardo Padura, o paquistanês Tariq Ali, dentre vários outros grandes autores.

O quê? – III Bienal Brasil do Livro e da Leitura

Quando – 21 a 30 de outubro

Onde – Estádio Mané Garrincha

Entrada franca

Acompanhe a programação em www.bienalbrasildolivro.com.br.