Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/19 às 19h13 - Atualizado em 12/12/19 às 11h51

Gerentes de cultura das RAs debatem com Secec calendário de eventos para 2020

COMPARTILHAR

A ideia é ajudá-los a propor projetos que sejam capazes de acessar as fontes de financiamento disponíveis

 

Gerentes de cultura de diversas Regiões Administrativas do Distrito Federal participaram de reunião com representantes da Secretaria de Cultura e Economia Criativa para falar sobre acesso aos mecanismos de fomento. Durante o encontro realizado nesta quarta-feira (11) no Espaço Cultural Renato Russo, eles também debateram formas de melhorar a ocupação dos equipamentos culturais da capital.

 

“Temos três fontes de recursos: o Fundo de Apoio à Cultura (FAC), os termos de fomento (por meio de emendas parlamentares) e a Lei de Incentivo à Cultura. Vocês precisam se capacitar a acessar esses recursos e vamos ajuda-los com isso”, disse o secretário de Cultura e Economia Criativa Adão Cândido, ao apresentar os recursos disponíveis.

“Nós já temos um calendário de grandes eventos para a comemoração do aniversário da capital. Convido vocês a engrossá-lo com iniciativas das RAs”, acrescentou.

 

O subsecretário do Patrimônio Cultural (Supac) da Secec, Demétrio Oliveira, que também participou da reunião, disse que está em estudo um programa amplo, voltado aos gerentes de cultura para auxiliá-los a estruturar os projetos, auxiliando na captação de recursos para a realização das ações. A ideia é tornar essas pessoas multiplicadoras em suas comunidades, ampliando o acesso ao fomento público. “As pessoas têm dificuldade de entender questões de orçamento, que são muito especializadas”, pontuou.

 

Demétrio Oliveira afirmou que ficou satisfeito em descobrir que há vontade por parte das RAs de propor projetos na cultura. “O importante é o desejo de fazer; vai dar trabalho viabilizar algumas iniciativas, mas é para isso que serve o poder público”.

 

A iniciativa que contou, ainda, com a presença do subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural, João Roberto Moro e de diversos assessores técnicos da pasta foi valorizada pelos gerentes de cultura. “Foi muito importante e atendeu a uma reivindicação que fazemos há muito tempo”, testemunhou o representante de Samambaia, Ricardo Zen. “Avalio o encontro como extremamente positivo”, referendou Danne Silva, gerente do Complexo Cultural local.

 

Danne pediu a palavra durante o encontro para sugerir aos gerentes regionais mais entrosamento entre si e com os gestores de espaços culturais disponíveis. “Atrevo-me a dizer que 80% da população de Samambaia não conhece o Complexo Cultural”, afirmou. Ele entende que se os moradores de lá e das cidades próximas soubessem das atividades culturais disponíveis, a frequência de uso do equipamento seria bem mais elevada.