Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/01/12 às 13h42 - Atualizado em 13/11/18 às 14h36

GDF institui o Ano de Valorização de Brasília

COMPARTILHAR

assinatura agnelo

O governador Agnelo Queiroz assinou hoje (25), o decreto que institui 2012 como o Ano da Valorização de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade, no foyer do Teatro Nacional Claudio Santoro. 

O documento tem o objetivo de promover ações governamentais voltadas para a valorização da cidade como patrimônio cultural da humanidade. As ações serão coordenadas pela Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab).

Nesse ano, comemora-se 25 anos que Brasília entrou para a lista de Patrimônio Cultural da Humanidade, título concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A capital federal é detentora da maior área tombada do mundo (112,5 km²), sendo o único bem contemporâneo a receber tal distinção.

O título de Patrimônio Cultural da Humanidade é destinado a monumentos, grupos de edifícios ou sítios que tenham um excepcional e universal valor histórico, estético, arqueológico, científico, etnológico ou antropológico. A honraria foi criada em 1972 pela Unesco, para incentivar a preservação de bens culturais e naturais considerados significativos para a humanidade.

“O título de Patrimônio Cultural da Humanidade é muito importante para Brasília. Com as ações que estão tendo início hoje, vamos mobilizar todo o governo e a sociedade para que o patrimônio seja preservado da forma mais adequada possível e possa ser usufruído por todos os brasilienses, brasileiros e turistas estrangeiros”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

Para o governador, o desafio é promover o desenvolvimento econômico, urbano e sustentável do Distrito Federal, aliado à preservação do patrimônio. “Precisamos gerar emprego e renda ao mesmo tempo em que vamos cuidar do tombamento da cidade. Com o decreto assinado hoje, é isso que vamos colocar em prática”, afirmou.

Para secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Geraldo Magela, transformar a Capital do Brasil em Patrimônio da Humanidade é dialogar com a comunidade e a população brasileira: “Devemos preservar esse título com a população brasilIiense. Que o título seja de conhecimento da população e que seja valorizado. O secretário ainda afirmou que deverá ser feita uma pesquisa de opinião sobre a valorização e a criação de ações produtivas para a sociedade nesse ano de 2012 e 2013.

Segundo o secretário de Cultura Hamilton Pereira, o objetivo é recuperar o patrimônio da Capital e a Secretaria de Cultura junto com o Estado fará o que puder para retomar e recuperar o patrimônio histórico tombado e os fragmentos de toda a cultura.

A coordenadora da Unesco Jurema Machado afirma esse compromisso: “A Unesco tem um compromisso selado com a preservação dos patrimônios. Devemos induzir políticas públicas, conciliação de valores culturais e desenvolver ações que contribuem para a conservação do patrimônio cultural, lembrando que o tema não é restrito, ele faz parte de um compromisso”.    

O superintendente do Iphan no DF, Alfredo Gastal, destacou que a iniciativa tem tudo para dar certo. “A partir de agora, o GDF vai atuar de forma mais efetiva em relação ao tombamento, o que representa um compromisso do governo sobre a preservação do patrimônio. Acredito que as ações e políticas sobre o assunto serão mais produtivas”, avaliou Gastal.

No próximo mês de março, uma comissão da Unesco deve vir a Brasília para avaliar com o governo as demandas relativas ao tombamento. Está prevista para o mesmo mês a realização de audiência pública sobre o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB). Após a discussão com a sociedade, o governo mandará o projeto para a Câmara Legislativa.

Fonte: com informações da Agência Brasília