Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/12/13 às 12h31 - Atualizado em 13/11/18 às 14h39

Fundo de Apoio à Cultura tem recorde de recursos executados em 2013

COMPARTILHAR


Música e cinema são as áreas que receberam maior quantidade de projetos

O Fundo de Apoio à Cultura (FAC) encerra o ano de 2013 com a maior execução de recursos para projetos culturais, R$ 36,1 milhões. Só em 2013, 272 projetos foram habilitados e realizados pela Secretaria de Cultura com apoio do FAC.

A área de música é a que recebeu mais recursos e projetos, 27,4% do total investido, seguido de cinema/TV, 24,7% e artes visuais, 8,7%.

Houve avanço na melhor distribuição nos projetos a serem realizados nas cidades sendo que Brasília terá 16,5%, seguida por Ceilândia 13,4% Taguatinga 11%.

O subsecretário de Fomento da Secretaria de Cultura, Leonardo Hernandes, lembra que um dos objetivos do FAC é descentralizar o investimento dos recursos, chegando cada vez mais às cidades do DF que estão longe do Plano Piloto.

“Nossa maior dificuldade hoje é que os projetos chegam com problemas formais como a não comprovação de preço e currículo e acabam não sendo habilitados. Para resolver o problema investimos este ano em cursos e capacitação de artistas e produtores, o que vai ser intensificado no próximo ano”, explica.

Em 2010, foram R$ 24 milhões investidos. Em 2011, o FAC executou R$ 25 milhões, e em 2012, R$ 34,1 milhões.

Só em projetos de cinema/TV o investimento foi de mais de R$ 8 milhões este ano. Serão realizados, com os recursos de 2013, 19 curtas-metragens, 05 longas-metragens ficção, 03 longas documentários, 03 pilotos de série para TV, 07 videoclipes, 31 CDs, 14 DVDs, além de diversos novos espetáculos, apresentações musicais, oficinas, seminários, festivais, exposições e pesquisas.

Além disso, também serão publicadas 08 obras literárias que somam a tiragem de 14.000 exemplares.

“Os resultados que alcançamos são bastante positivos, mas acreditamos que em 2014, com os cursos que o FAC está fazendo e com o novo Decreto publicado, tornaremos o processo mais simples e vamos evitar erros formais que acabam os inviabilizando”, conclui Hernandes.

Veja o relatório do FAC 2013