Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/07/14 às 17h39 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Flashmob Grande Dança Brasil movimenta Museu Nacional da República

COMPARTILHAR

Última edição reuniu dançarinos profissionais, brasilienses e turistas


Um dos pontos turísticos mais visitados de Brasília, o Museu Nacional da República reuniu, neste domingo (6), brasilienses e turistas em uma tarde com música brasileira e passos dos ritmos mais característicos do país. O último dia do Flashmob Grande Dança Brasil, sob o comando do professor Marcelo Amorim, encantou os visitantes e deixou saudades em quem entrou na dança. Ao todo, foram quatro apresentações.

O coreógrafo Marcelo Amorim ressalta o sucesso do projeto em Brasília, uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo onde o Grande Dança Brasil foi realizado. “Cada performance foi diferente, mas mudou sempre para melhor. A vibração foi muito positiva e Brasília cumpriu o seu papel, fizemos muito bonito”. Sobre a participação de turistas estrangeiros, o dançarino acrescenta: “trazer esse evento para o Museu deu mais visibilidade e fez com que reforçássemos o conceito positivo que os estrangeiros tem de nós: um povo alegre, desinibido, divertido e que é feliz quando dança.”

A atriz Malu Cordioli, 21, participou do primeiro flashbob do projeto, com a participação de Carlinhos de Jesus e deste último. “É uma energia muito bacana e é muito fácil de contagiar as pessoas. Cada um que veio, trouxe mais gente para o próximo”, disse. Maria Augusta de Figueiredo, 50, aposentada, esteve em todas as edições e garante estar com saudades. “Já sinto falta. Queria que todo domingo tivesse um, é muito gostoso. A dança é maravilhosa e acho que todos deveriam dançar”.

“Fiquei com vontade de me juntar a eles e foi uma experiência ótima”, conta a turista maranhense Bruna Vanessa Damasceno, 33. A professora está sempre em Brasília visitando familiares e vai ao Museu nestas ocasiões. O filho dela, Tiago Tobias Damasceno, 8, se juntou à turma na hora da coreografia e justifica: “É porque eu gosto de dançar”.

João Gonçalves de Lima, 75, dança há mais de 20 anos e não ficou de fora de nenhum dos flashmobs do Grande Dança Brasil. “Fiz muitos amigos, conheci muita gente. É maravilhoso dançar com todos a sua volta”. De acordo com ele, os turistas estrangeiros são muito bem-vindos, mas afirma: “Ginga mesmo, só os brasileiros têm”.