Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/04/14 às 23h31 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Fiéis de todo o DF se emocionam na Via-Sacra de Planaltina

COMPARTILHAR

Evento reúne cerca de 150 mil pessoas no Morro da Capelinha 

A fé e a emoção tomaram conta, na tarde desta Sexta-Feira Santa (18), das ladeiras do Morro da Capelinha, em Planaltina. A 41ª Via-Sacra da cidade, que é considerada o maior teatro a céu aberto do Centro-Oeste, atraiu milhares de fiéis que aproveitaram o dia em que, pela tradição católica, se recorda a Paixão de Jesus Cristo para fazer penitências e orações.

A aposentada Maria de Lourdes Cunha, 63 anos, foi uma das pessoas que passaram parte do dia no local da encenação. Com o terço na mão, rezando enquanto os atores se preparavam para entrar em cena, ela contou que esta é a segunda vez que participa desse evento que reúne o profissionalismo do teatro e a religiosidade.

“Na primeira vez que vim, há dois anos, senti muita emoção e este ano quis reviver tudo de novo. Ver o sofrimento de Cristo para nós, católicos, é uma forma de incentivo para suportar as barreiras que encontramos no dia a dia”, disse a dona de casa.

Participar da Via-Sacra no Morro da Capelinha, que, segundo as previsões da Polícia Militar, deve atrair cerca de 150 mil pessoas, é uma forma encontrada para agradecer a Deus e fazer penitências, como andar a pé cerca de 8km.

“Meu esposo teve um AVC (acidente vascular cerebral) e conseguiu se recuperar. Da primeira vez, vim a pé de casa e também voltei a pé. Nada disso chega perto do sacrifício que Jesus fez por nós”, comparou Lourdes.

Além dos que foram para assistir, a encenação de Planaltina reuniu milhares de voluntários, entre eles o funcionário público Walter Gonçalves, 37 anos. Ocupando o papel de centurião – comandante de uma centúria (100 soldados romanos) –, ele participa pela 23ª vez do evento e se diz um “instrumento de evangelização”.

“Diante de todas essas 150 mil pessoas, com o nosso trabalho, com a nossa representação, se ao menos uma pessoa sair tocada por Deus ou transformada, isso já pagou todo o nosso esforço. Na hora em que estamos encenando, a emoção é muito grande. Só queremos levar Deus às pessoas”, afirmou o ator, com o companheiro de cena, Roberto Estevão, 37 anos.

Embora estivesse marcada para começar às 16h, a encenação atrasou. Os atores começaram a se posicionar em todos os palcos que representam as estações da Via-Sacra às 15h40, mas somente às 16h30, a apresentação começou de fato.