Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/12/20 às 17h38 - Atualizado em 16/12/20 às 17h38

Ficção científica brasiliense discute privacidade no mundo digital

COMPARTILHAR

Texto: Loane Bernardo/Edição: Guilherme Lobão (Ascom Secec)

 

16/12/2020

17:38:00

 

O governo totalitário de um futuro distópico controla o fluxo de informações, e pessoas começam a sumir misteriosamente. Números de programação são capazes de investigar a vida digital dos cidadãos, roubar dados e definir alertas para indivíduos potencialmente subversivos. Ficção científica idealizada por Thiago Foresti, “Algorítimo” é uma das atrações selecionadas para a competição de curtas-metragens da Mostra Brasília, do 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Acesse:

Programação detalhada  

Linha do tempo do FBCB

Últimas Notícias FBCB

Como assistir ao 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Programação paralela

 

O filme, que conta a vida de Nicole, uma jovem de 18 anos e estudante de veterinária que tem a sua vida investigada pelos algorítimos, pode ser visto gratuitamente a partir desta quinta (17) e até domingo (20), na plataforma de streaming Canais Globo.

 

Premiado em diversos festivais, como Entretodos, Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e Festival de Cinema de Gramado, Foresti destaca seu curta-metragem como uma linguagem pouco convencional, porém com um final que deixa uma lição de humanidade e reflexão sobre o universo digital aos cinéfilos de plantão.

 

Diante de uma realidade onde o monitoramento digital é algo que pode ser usado em investigações ocultas, a trama se passa em um ambiente de medo, onde os diálogos com o celular ligado podem comprometer pessoas de modo que custem até suas próprias vidas.

 

“Na produção, utilizamos apenas celulares e câmeras de segurança e tivemos um custo de produção bastante baixo. Foi um filme feito de forma inteiramente independente”, diz.

 

Sobre o FBCB, o diretor afirma que evento online não chega nem aos pés de uma exibição no cinema, mas o que o deixa feliz que o Festival de Brasília não perca essa edição. “Só isso já faz essa edição entrar para a história do festival de forma automática. Gostaria de ter o filme exibido na tela do cinema, mas ao mesmo tempo, fico feliz de estar na seleção dessa edição histórica”, arremata.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)
E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br