Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/06/16 às 17h18 - Atualizado em 13/11/18 às 14h50

FAC apoia projeto de pesquisa musical tecnológica

COMPARTILHAR

MuN recebe ciclo de oficinas e performances musicais com programação de software

O projeto de Programação Musical de Software é uma pesquisa musical com apoio do FAC-SECULTDF tem sua realização no Anexo do Museu Nacional da República/DF e trata do ensino e da prática da música com programação de software. As ações consistem de 6 oficinas e 6 performances de criação musical por meio de programação do software. As atividades apresentam uma introdução à programação de software criativo, com foco em música eletrônica experimental.

Cada oficina contará com um artista convidado, a fim de propiciar um diaálogo e interação entre música com instrumentos tradicionais e a música com programação de software. Participarão o maestro Luiz Oliviéri, o guitarrista Sergio Cepa, o baterista Barata, o baixista Vavá Afiouni, o poeta Gérson Deveras e o produtor musical Ramiro Galas. As oficinas são divididas em conteúdos teóricos, prática e performances coletivas. Os participantes podem usar seus laptops, mas estarão disponíveis computadores para uso coletivo.

Os músicos convidados e os participantes das oficinas traduzirão suas técnicas e ideias para o sistema de programação de software Sonic Pi. O Sonic Pi, baseado na linguagem Ruby, é um ambiente de programação criado pelo Prof. Sam Aaron, da Universidade de Cambridge, para educação musical e introdução à informática para crianças – ou seja, não se asustem, é tudo muito simples! Além do Sonic Pi, a oficina apresenta outros softwares livres de produção criação musical com algorítmos.

Como uma linguagem de programação pode interagir e contribuir com músicos reais, desencadeando processos criativos inusitados? Podemos instruir o sistema a tocar uma sequência de notas baseada nas notícias do jornal, mapeando as vogais das manchetes nas teclas pretas do piano e as consoantes nas teclas brancas. Podemos basear acordes nos ponteiros do relógio. Podemos experimentar ritmos de bateria que só poderiam ser tocados por uma pessoa com 3 braços. O imaginação é o limite, para instruduzirmos a poética e o caos do ser humano nos códigos da computação.

A condução das oficinas é de Alexandre Rangel, artista multimídia brasiliense, mestre em arte educação pela UnB. Rangel tem produzido perfomances com a técnica de criação de software audiovisual, como o “Sábio ao Contrário” e Weekly Beats, desafio de produção de uma música com código de programação a cada semana de 2016. Já apresentou suas criações no Brasil, Argentina, Espanha, EUA, França, Dinamarca, Holanda e Taiwan.

Serviço:

6 oficinas

Local: Anexo do Museu Nacional de Brasília

Faixa etária: Maiores de 14 anos.

Entrada franca.

Inscrições: http://www.quasecinema.org/sonicpi.html

25 e 26 Junho (Sáb. e Dom.)

23 e 24 Julho (Sáb. e Dom.)

20 e 21 Agosto (Sáb. e Dom.)

10 e 11 Setembro (Sáb. e Dom.)

22 e 23 Outubro (Sáb. e Dom.)

12 e 13 Novembro (Sáb. e Dom.)

Horários: 15h às 20h