Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/08/19 às 12h04 - Atualizado em 27/08/19 às 12h05

Exposição “Unidade de Construção” propõe metáforas da arte sobre o poder em Brasília

COMPARTILHAR

Fotógrafo usa imagens, objetos e esculturas para refletir sobre os discursos embutidos nos espaços da capital

 

O Museu Nacional da República vai receber no início de setembro 13 trabalhos do artista paulistano Ding Musa para uma exposição que captura ecos da capital federal. A mostra “Unidade de Construção” reúne obras de 2007 a 2019, cobrindo diferentes fases da produção do fotógrafo e diretor de fotografia, e tem preocupações estéticas que podem ser acomodadas em torno do conceito de discurso sobre o poder.

 

Como assim? Ele responde: “Tudo em Brasília tem a ver com a formulação de discursos de poder. Do traço de Niemeyer aos painéis de Athos Bulcão, passando por mesas de madeira nobre nos ministérios, tapetes persas ou o painel dourado alusivo a Juscelino Kubitschek no Palácio da Alvorada”.

 

Essa noção está na série de 50 imagens que Musa fez em 2011 do discurso de JK gravado em ouro no hall de entrada do Palácio da Alvorada, que faz parte da série documental do artista sobre espaços do poder público em Brasília, com o título “do discurso político brasileiro”.

 

O conceito de “unidade de construção”, que dá nome à mostra, é muito explorado em diversas obras do artista, entre fotografias, objetos e esculturas que formam a mostra que chega à capital. Uma forma de metáfora visual através dos materiais de construção usados?

 

Em “The golden brick” (tijolo de ouro, de 2018), deparamos com uma pilha composta por 84 blocos de cimento encimados por um de bronze banhado em ouro. “Por que usamos tijolos, quem os fabricou, o que significam? O tijolo do topo está sustentado por todos os demais?”, dispara sobre o interlocutor, voltando a fazer referência às partes que formam um significado que pode e talvez deva permanecer como interrogação em aberto.

 

E o painel composto por tijolos subdivididos em partes geométricas, “Tangram”(2019), que faz alusão ao quebra-cabeças geométrico chinês formado por 7 peças, com as quais se podem formar centenas de formas? Uma referência aos painéis de Athos Bulcão espalhados pela capital?

“Unidade de construção” parece explorar a relação entre as bases estéticas e políticas da construção de Brasília e o modernismo através de metáforas visuais produzidas por meio dos materiais de construção civil e sua desconstrução tanto física como conceitual.

 

Ding Musa, nascido em 1979, estudou Música e Geografia na USP e se formou em fotografia pelo Senac. Participou de exposições em diversos países. Fez residência de arte em Cardiff (País de Gales, Reino Unido) em 2004 e desenvolve suas atividades morando em São Paulo. Tem fotografias publicadas em livros, revistas e catálogos e atua também na direção de fotografia para cinema.

 

Serviço
Ding Musa – unidade de construção
Local: Museu Nacional da República
Endereço: Complexo Cultural da República, Esplanada dos Ministérios, Brasília – DF
Abertura: 3 de setembro, terça-feira, a partir das 18h30
Período expositivo: 4 de setembro a 27 de outubro
Visitação: de terça a domingo, das 9h às 18h30
Telefone: (61) 3325-5220