Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/04/12 às 13h40 - Atualizado em 13/11/18 às 14h37

Exposição na CLDF mostra três capitais do Brasil em 1957 na visão do fotógrafo sueco Ake Borglund

COMPARTILHAR

image119

Uma oportunidade imperdível de conhecer ou reviver um momento de transformação do Brasil. É o que representa a exposição Salvador – Rio de Janeiro – Brasília: As 3 Capitais do Brasil em 1957, que reúne 75 fotografias inéditas, em preto e branco, do fotógrafo sueco Ake Borglund, tendo como cenários as cidades de Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF) – ainda em construção.

A exposição, idealizada por Mercedes Urquiza, pioneira de Brasília, tem como curador o artista plástico Evandro Salles e poderá ser visitada no Foyer do Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal, no período de 12 de abril a 10 de maio, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (exceto feriados). A realização é da Câmara Legislativa do Distrito Federal, com o patrocínio do Governo Federal e Petrobras e com apoio institucional da Secretaria de Cultura do DF, da Embaixada da Suécia e das empresas brasilienses Imagens Promoções e NGD – Núcleo Gráfico Digital.

O curador Evandro Salles ressalta que entre os pontos fortes da mostra estão a própria beleza do conjunto de registros feitos por Ake Borglund em 1957, além da raridade histórica proporcionada pelo notável ineditismo da abordagem do fotógrafo sueco. Segundo Salles, das 75 fotos que compõem a mostra, 22 são de Brasília em construção, 30 de Salvador e 23 do Rio de janeiro, em tamanhos que variam de 48,5 cm x 31cm a 42,5 cm x 32cm. Outras 4 imagens, 1 do próprio Borglund e 3 de icones ilustrativos da mostra, compõem o total de 90 imagens, incluindo 11 fotografias contemporâneas das 3 capitais.

Ele acrescenta que os visitantes terão ainda a oportunidade de apreciar o curioso contraste entre o passado e o presente das três capitais. Isso porque, além do material produzido em 1957 por Ake Borglund, estarão em exposição fotos atuais (produzidas em 2012) das mesmas cidades. São três fotos de Brasília, feitas por Rui Faquini, quatro de Salvador, produzidas por José Carvalho e quatro do Rio de Janeiro, feitas por Tomás Faquini. Todo esse material será apresentado no tamanho aproximado de 48,5 cm x 31cm.

História da mostra – A organização da mostra é fruto do empenho e dedicação da colecionadora, Mercedes Urquiza. Ela conta que Ake Borglund era, em 1957, um jovem fotógrafo sueco que havia ganho um prêmio de viagem por sua fotografia jornalística publicada em seu país. A viagem-prêmio seria para a América do Sul onde Borglund chegou na segunda metade daquele ano. Visitou então o Brasil, a Argentina e o Chile. No Brasil, fotografou as cidades de Salvador e Rio de Janeiro, além do que seria a nova capital brasileira: as obras da futura Brasília.

Borglund soube do início da construção da nova cidade, que seria a capital do Brasil, e que ficaria encravada no centro longínquo e desabitado do país. Curioso e aventureiro, decidiu visitar o lugar. Naquela altura Brasília era apenas um grande canteiro de obras em pleno cerrado. Para ciceronear o fotógrafo, que falava um parco inglês, convocou-se uma jovem argentina, na época com 18 anos, de família tradicional e que havia, também por aventura, recém chegado ao lugar a bordo de um jipe, acompanhada do marido. Era Mercedes Urquiza que, durante alguns dias, levou Borglund para conhecer a gigantesca movimentação humana em torno da construção da nova capital brasileira.

Monumento pronto ainda não havia, mas o fotógrafo encontrou por aqui uma quantidade de temas atraentes e passou a registrar o cotidiano e a formação social de uma cidade em construção. Com o apoio imprescindível de Mercedes Urquiza, o sueco produziu mais de 800 fotos. No ano seguinte, como agradecimento, o fotógrafo enviou de presente à sua cicerone uma coleção de 45 fotos que foram, depois de cuidadosamente guardadas por quatro décadas, transformadas em uma exposição que viaja o mundo pelas mãos da agora empresária Mercedes Urquiza.

Depois da ampla divulgação das imagens de Brasília feitas por Borglund, em revistas como a National Geographic e a Paris Match, o fotógrafo decidiu repassar a Mercedes Urquiza um outro lote de mais de 300 fotografias, que incluem novas imagens de Brasília, além de uma série extraordinária de fotos até hoje inéditas de Salvador e Rio de Janeiro, bem como uma coleção de imagens da Argentina e do Chile. Enfim, o acervo fotográfico de sua viagem à América do Sul estava finalmente reunido no Brasil por Mercedes Urquiza.

“O projeto que ora apresentamos, pretende mostrar pela primeira vez as fotos inéditas de Salvador e Rio de Janeiro, junto às de Brasília feitas por Ake Borglund em 1957. Assim, as três capitais brasileiras são vistas em um momento crucial de transformação do Brasil”, destaca Mercedes.

Ela observa que Ake Borglund ainda é vivo e mora na Suécia. Infelizmente, por estar com a saúde fragilizada, não poderá vir a Brasília para acompanhar de perto a exposição que tem como base o seu olhar fotográfico. Mas, quis o destino que o interesse de Borglund pela incipiente construção da nova capital do Brasil o transformasse num autor cujo testemunho fotográfico ocupa lugar de destaque na história de Brasília.

Para o presidente da Câmara Legislativa, deputado Patrício (PT), o legado que Ake Borglund deixa para a cidade é de uma Brasília de profunda esperança, prova maior da capacidade de realização do povo brasileiro, que deve se manifestar ainda mais nos dias atuais.

“Nossa Casa se sente privilegiada em abrigar essa mostra. Muito mais que uma seleção histórica de imagens de três capitais do Brasil, feitas por um fotógrafo premiado mundialmente, ela representa uma grande homenagem à nossa cidade, motivo de orgulho para seus filhos – como eu – e para aqueles que chegaram com vontade e esperança na concretização do sonho de milhares de brasileiros, liderados pelo então presidente JK”, acrescentou Patrício.

Serviço:

Exposição: Salvador – Rio de Janeiro – Brasília: As 3 Capitais do Brasil em 1957 – Fotografias de Ake Borglund, Rui Faquini, José Carvalho e Tomás Faquini.

Local: Foyer do Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Praça Municipal – Quadra 2, Lote 5 – Edifício Sede – Brasília – DF.

Abertura: 11 de abril de 2012, às 19h30.

Visitação: De 12 de abril a 10 de maio de 2012. De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (exceto feriados).

Entrada gratuita.

Livre para todas as idades.

Realização: Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Patrocínio: Governo Federal e Petrobrás.

Apoio Institucional: Secretaria de Cultura do Distrito Federal, Embaixada da Suécia, Imagens Promoções e NGD – Núcleo Gráfico Digital.

José Coury Neto – Coordenadoria de Comunicação Social da Câmara Legislativa do Distrito Federal