Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/09/16 às 13h10 - Atualizado em 13/11/18 às 14h50

Exposição multimídia revela histórias e arte sobre catadores

COMPARTILHAR

“Lixo”, Consumo e Impermanência fica em cartaz no Museu Nacional

Montada a partir das criações de quem participou das oficinas do projeto Catadores de Histórias, idealizado pela cineasta Tânia Quaresma, a exposição “Lixo”, Consumo e Impremanência está em cartaz até o dia 7 de outubro no Museu Nacional.

No centro da mostra, uma tenda circular representará o mundo dos Catadores que pouca gente conhece: o “lixão”. Formando um grande muro em volta dessa tenda, inúmeros televisores de modelos antigos e tamanhos diversos, ligados a aparelhos de DVD,VHS, Super V, Mini DV, entre outros que como as TVs, foram descartados ainda em funcionamento, e trocados por modelos mais novos, exibem imagens fortes. “Em cada uma das TVs, vemos desfilar essas imagens , umas ao lado das outras, formando um grande mosaico de cenas em movimento, do Lixão da Estrutural e outros lixões do país”, diz Tânia Quaresma.

No chão, feito de lona plástica reciclada, será impressa uma imensa foto do chão do “lixão”, para que os visitantes tenham a sensação de caminhar no maior “lixão” da América Latina.

Do lado de dentro o mundo antigo dos “lixões” que está prestes a terminar. Na saída, nas “costas” do muro circular de TVs, a Lei 12.305/2010, escrita na linguagem simples e poética do cordel, decreta o fim daquele mundo.

Delimitando os espaços da mostra, grafites produzidos pelos jovens catadores participantes da “Oficina de Grafite” (Cultura Hip-Hop), falam do novo tempo que está chegando.

A trilha sonora original do filme, a cenografia, desenhos, materiais promocionais do projeto e muito mais, que serão criados a partir de oficinas, também irão compor a mostra.

Objetos como flores de pano, móbiles-urubús, ratinhos de papel machê, bolsas de coleta(“bags”), biombos com fotos e outros objetos surgidos do imaginário dos participantes das Oficinas de Técnicas Produtivas, serão produzidos com materiais recicláveis e também irão compor a mostra.

“O universo desvendado será, no mínimo, surpreendente”, promete Tânia Quaresma.

O quê: Exposição “Lixo”, Consumo e Impremanência

Quando: 23 de setembro a 7 de outubro, de terça a domingo, das 9h às 18h30

Onde: Museu Nacional da República, Galeria Térreo, área externa e anexo

Entrada franca