Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/01/20 às 17h13 - Atualizado em 30/01/20 às 17h16

Exposição de arte sobre simbologia das matrizes africanas é o destaque da agenda cultural

COMPARTILHAR

 

Primeira exposição do ano, a mostra “Orixás” está em cartaz no Museu Nacional da República

 

O mês de fevereiro começa movimentado nos espaços culturais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec). São diversas atividades que incluem entretenimento e lazer dedicado a todos os públicos.

 

Para quem gosta de artes plásticas, o Museu Nacional da República inaugurou esta semana a exposição “Orixás – Geometria, símbolos e cores”, do artista brasiliense Josafá Neves. A mostra fica em cartaz até 29 de março e reúne a simbologia e as cores que caracterizam a força mística de 16 orixás cultuados no Brasil.

 

O Cine Brasília estreia nesta sexta-feira (31) a temporada 2020 do “Cine Brasília Debate”. Na ocasião, o público poderá bater um papo com a equipe do filme “Ainda temos a imensidão da noite”. O encontro contará com a presença do diretor Gustavo Galvão, das atrizes Ayla Gresta e Vanessa Gusmão, dos atores Gustavo Halfeld e Hélio Miranda e com a mediação da corroteirista Cristiane Oliveira.

Outros espaços oferecem à população do DF diversas opções de cultura e lazer, como espetáculos de música, peças teatrais e oficinas.

 

Centro Cultural Três Poderes

 

Exposição Memorial Tancredo Neves

Exposição com documentos, objetos, fotografias e vídeos que detalham a trajetória do presidente Tancredo Neves. Local: Panteão da Pátria. Entrada franca. Classificação Indicativa livre.

 

Exposição Lúcio Costa

 

Exposição contendo cópias do croqui e do relatório do Plano Piloto de Brasília elaborados pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa, fotografias de Brasília em diversas fase inclusive durante a construção e uma maquete escala 1:1000 que destaca a área do Plano Piloto. Local: Espaço Lúcio Costa. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Exposição Interiorização da Capital

 

Exposição que contém 16 textos de diversos autores e narra o processo de interiorização da capital brasileira desde a colônia até a inauguração de Brasília. Local: Museu Histórico de Brasília. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Catetinho

 

Exposição Permanente – O Palácio de Tábuas
Reconstituição da vida cotidiana da casa durante o período da construção de Brasília, quando abrigou o Presidente Juscelino Kubitschek e seus assessores. Os móveis e objetos originais foram preservados. Horários: 9h às 17h. Entrada Franca. Classificação livre.

 

Cine Brasília

 

Na última semana de janeiro, o Cine Brasília apresenta a estreia do longa-metragem recifense “Açúcar”. O aclamado “Parasita” e o documentário “Adoniran, meu nome é João Rubinato” permanecem na programação que recebe, ainda, sessão especial do título que concorreu no 52º Festival de Cinema de Brasília, “Ainda temos a imensidão da noite”, dentro do projeto Cine Debate.

 

Cine Debate

 

Nesta sexta-feira (31), o Cine traz sessão especial seguida de debate com elenco e direção do longa-metragem “Ainda temos a imensidão da noite”. A atração especial para os cinéfilos é uma produção brasiliense, que participou da 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, na Mostra Brasília.

 

Programação Cine Brasília:

 

Cine-semana: 30/01 até 05/02/2020
16h – Adoniran, meu nome é João Rubinato
18h – Parasita
20h30 – Açúcar Sexta (31/01) não há sessão de Açúcar
Dia 31/10 – sexta-feira:
20h30 – Sessão especial: Ainda temos a imensidão da noite+ Debate com equipe do filme
Sessão especial com cobrança de ingressos
Serviço: Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões. Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

 

Complexo Cultural de Planaltina

 

Sarau Diversidade – 31/01 – 19h

 

Sarau Diversidade começa com as Exposições: “Os Segredos da Caixa de Costura” da Artista Plástica e Poetisa Janilce Rodrigues, e “Trajetória Reciclável” do Artista Plástico e Ator Nest. Logo mais, o evento fica com o palco aberto, espaço para os participantes se apresentarem com músicas, dança e poesia. Batalha de rima com pockets show nos intervalos. Microfone aberto para Literatura Marginal. Show da noite com “Todos por Um”. Entrada Franca. Classificação Livre.

 

Oficina de dança – 01/02 – 10h

 

Oficina de Dança, modalidade Stiletto. Cine Teatro.
Entrada Franca Classificação livre.
Sarau Diversidade convida Reggae Primata – 02/02- 15h
Sound System com apresentações musicais e poéticas.
Entrada franca. Classificação livre.

 

Complexo Cultural Samambaia

 

Aulão de forró 01/01 10h

Show realizado pelo cia Tarot e o Ellefante. Entrada franca. Classificação livre.

 

Para Além das Algemas 01/01 – 19h

Para Além das Algemas é uma exposição que revela parte das sensibilidades, afetos e angústias em imagens e poesias feitas por adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação de Planaltina (UIP), Recanto das Emas (Unire), São Sebastião (Uiss) e Santa Maria (Uism). Entrada franca. Classificação livre.

 

Centro de Dança

 

Oficina de Dança Contemporânea – Nível Avançado e Profissional – 31/01

Aula dedicada a aliar técnica e expressividade e ensinar aos alunos como adaptar nas rotinas coreográficas seu próprio toque pessoal. A atividade emitirá uma certificação da Universidade de Brasília pelo Coletivo de Documentação e Dança CDPDan aos alunos com mais de 75% das aulas assistidas.Professora: Laura Virgínia.Sextas de 18h até 19h30
Valor: R$ 75,00/mês

 

Ylu Ara – Tambor do Corpo 01/01

 

O Projeto Consiste na execução de oficinas nas temáticas de dança afro contemporânea, realizada num período de dois meses e mais uma série de apresentações performáticas.
Professores: Hosana Oliveira – Aline Marcimiano
Segundas das 20h às 22h, Sábados das 10h às 14h
Email: projetoobara@gmail.com
Entrada franca.

 

Espaço Cultural Renato Russo

 

Iª Mostra de Artes Visuais das Oficinas do Espaço (18/12 a 09/02)

 

Pintura, desenho, aquarela, ilustrações, história em quadrinhos, fotografia e muitos outros cursos foram oferecidos ao longo de 2018 no Espaço. Foram 187 oficinas ao longo de 12 meses, contando com a participação de 3817 alunos. Horário: a partir das 18h. Classificação: Livre. Gratuito.

 

Teatro – Hiato 31/01 a 02/02 – sex e sábado 20h dom 19.

 

O ator e dramaturgo Arthur Tadeu Curado, ao lado da atriz e bailarina Larissa Salgado, sob a direção de Andréa Alfaia, propõe a investigação da alma humana contemporânea. Em um ambiente híbrido, diversos personagens, vítimas de algumas das doenças neuronais e sociais epidêmicas em nossos dias discorrem sobre suas condições. Entrada: R$ 40 (inteira), 16 anos – Sala Multiuso.

 

Oficina – Curso de desenho – 01/02 a 05/04 10h às 12h

 

Curso prático que visa introduzir as principais técnicas do desenho tradicional respeitando a expressão única de cada aluno. Serão expostos conceitos importantes para a composição visual e estruturação do desenho. As técnicas de percepção visual desenvolvidas em sala de aula garantem versatilidade, sendo possível aplicá-las em diversas linguagens e expressões na prática diária do aluno. Faixa etária: a partir de 15 anos. Vagas: 25. Inscrição: R$ 25,00.

 

Circo – Bem-te-vi Sabiá 01 e 02/02 – 17h

 

O palhaço Sabiá, interpretado por Thiago Enoque, conduz a apresentação orquestrando as interações com a plateia. O espetáculo cria relações e rompe fronteiras entre artista-público. Palhaçaria e acrobacia são o forte da apresentação. Entrada Franca, Livre – Praça Central.

 

Museu Nacional da República

 

Orixás – Geometria, símbolos e cores – Josafá Neves

 

Com o objetivo de exaltar os símbolos sagrados das tradições religiosas das matrizes africanas, o Museu Nacional da República recebe a exposição “Orixás: geometria, símbolos e cores”, do artista brasiliense Josafá Neves. A mostra que estreia na próxima terça-feira (28) e fica em cartaz até 29 de março reúne a simbologia e as cores que caracterizam a força mística de 16 orixás cultuados no Brasil.

 

A exposição, que provoca o olhar do público em relação à história da cultura afro-brasileira, surgiu a partir de uma ampla pesquisa do artista plástico brasiliense sobre a mitologia africana. Para a materialização das obras, Neres se inspirou nas influências artísticas dos traços geométricos e da simbologia de cores característicos das obras de Rubem Valentim.

Composta de esculturas, pinturas a óleo sobre tela e instalações, o trabalho do artista segue a linha da arte contemporânea, traduzindo a mitologia africana em uma narrativa poética, respeitando a representação emblemática das divindades que representam a cultura afro-brasileira no país. Em cartaz: 29 de janeiro a 29 de março de 2020. Entrada Franca

.

Memorial dos Povos Indígenas

 

Agro não é Pop (até 16/02)

 

A exposição “O Agro Não é Pop”, do artista plástico indígena Denílson Baniwa. A mostra revela de forma sensível e simbólica a representação das propagandas em relação aos alimentos e o modo de vida do ser humano. Por meio de metáforas, misturando personagens de casos chocantes envolvendo índios, como a morte do Pataxó Galdino, o expositor guiou os educadores por suas pinturas, gravuras e retratos expostos no Memorial. Também permanecem em cartaz as exposições “Menire Bê Kayapó Djàpêj” (A mulher Kayapó e seu trabalho), e o Bosque das Línguas Indígenas. Horário de visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.Classificação: Livre. Gratuito.

 

Museu Vivo da Memória Candanga

 

Exposição- “Image”, Casa Azul – Dupla exposição dos artistas plásticos Pierre & Costerus “Candido Faria – Um brasileiro em Paris”, Sala de Exposição.

Composta de três acervos que dialogam entre si com a temática de memória, afetividade e registro do tempo. Apresenta registros de vídeos, objetos e exemplares de lambretas antigas. A mostra fica em cartaz até março de 2020.O local ainda abriga e exposição permanente “Poeira, Lona e Concreto”, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro.
Horário de Funcionamento: Segunda a sábado de 9h às 17h.

 

Oficinas

 

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole.

 

Confira os dias e horários das oficinas:

 

Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários.

Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina do Papel (Fundação Pedro Jorge) – Quarta-feira de 14h às 17h.
Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta das 14h às 17h.
Horário: Segunda-feira das 14h às 18h30 e de terça-feira a domingo das 9h às 18h30
Local: Museu Nacional da República/Entrada: franca
Classificação indicativa: livre