Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/01/20 às 16h12 - Atualizado em 16/01/20 às 16h15

Exibição de Bacurau no Complexo Cultural Samambaia é o destaque da agenda cultural

COMPARTILHAR

O período de férias no DF conta com diversas atrações de entretenimento nos equipamentos da Secec

 

Os espaços culturais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec) continuam com ampla programação durante o mês de janeiro. Cursos de verão, oficinas e filmes premiados do cinema mundial são algumas das diversas atrações para o fim de semana.

 

Nesta sexta (17), acontecerá, no Complexo Cultural de Planaltina, o Cine Clube CCP. O evento propõe uma sessão de cinema no horário do almoço, com sucessos do cinema mundial. A matinê se estenderá durante todo o mês, em celebração ao verão e ao clima de férias escolares. Com entrada franca e indicado para toda da família.

Na mesma onda do cinema, o Complexo Cultural Samambaia exibirá o sucesso de bilheteria de 2019 “Bacurau”, neste sábado (18), às 17h. A sessão noturna é a estrela do fim de semana e está aberta a venda de ingressos pela internet, através da plataforma Sympla.

 

Para quem gosta de dança, o Centro de Dança oferece curso de dança afro contemporânea, pelo projeto Ylu Ara – Tambor do Corpo. Com entrada franca. Outros espaços oferecem à população do DF diversas opções de cultura e lazer, como espetáculos de música, peças teatrais e oficinas.

 

Complexo Cultural de Planaltina

 

17/01 – Cine Clube CCP

 

O CCP recebe o evento “Cinema ao Meio Dia” que tem como objetivo exibir filmes no horário de almoço para quem trabalha por perto do Complexo. Entrada Franca. Classificação Indicativa Livre.

 

17/01 – Batalha de Rima

 

O Teatro de Arena reúne artistas de Rap Freestyle em uma batalha de MCs. Horário: 19h às 22h. Classificação: Livre. Entrada Franca.

 

19/01 – Concurso Talentos do Cerrado

 

Através de diversas manifestações culturais, inclusive com instrumentos eletroeletrônicos e equipamentos digitais, o concurso de talentos ofertará uma espécie de competição para os artistas inscritos, com uma premiação simbólica diluída em 3 categorias: Dança, Performance e Canto. Horário: 15h às 20h. Classificação: Livre. Entrada Franca.

 

Centro Cultural Três Poderes

 

Exposição Memorial Tancredo Neves

 

Exposição com documentos, objetos, fotografias e vídeos que detalham a trajetória do presidente Tancredo Neves. Local: Panteão da Pátria. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h as 18h, no dia 24 somente até as 12h. Horários: 09h às 18h.

 

Exposição Lúcio Costa

 

Exposição contendo cópias do croqui e do relatório do Plano Piloto de Brasília elaborados pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa, fotografias de Brasília em diversas fase inclusive durante a construção e uma maquete escala 1:1000 que destaca a área do Plano Piloto. Local: Espaço Lúcio Costa. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Exposição Interiorização da Capital

 

Exposição que contém 16 textos de diversos autores e narra o processo de interiorização da capital brasileira desde a colônia até a inauguração de Brasília. Local: Museu Histórico de Brasília. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

 

Centro de Dança

 

Ylu Ara – Tambor do Corpo 18/01

 

O Projeto Consiste na execução de oficinas nas temáticas de dança afro contemporânea, realizada num período de dois meses e mais uma série de apresentações performáticas.
Professores: Hosana Oliveira – Aline Marcimiano
Segundas das 20h às 22h, Sábados das 10h às 14h
Email: projetoobara@gmail.com
Valor: Gratuito

 

Oficina de Dança Contemporânea – Nível Avançado e Profissional – 17/01

 

Aula dedicada a aliar técnica e expressividade e ensinar aos alunos como adaptar nas rotinas coreográficas seu próprio toque pessoal. A atividade emitirá uma certificação da Universidade de Brasília pelo Coletivo de Documentação e Dança CDPDan aos alunos com mais de 75% das aulas assistidas.
Professora: Laura Virgínia
Sextas de 18h até 19h30
Valor: R$ 75,00/mês

 

Complexo Cultural Samambaia

 

Bacurau 18/01 – 17h

 

Complexo Cultural Samambaia exibirá no próximo dia 18 de janeiro o filme brasileiro que conquistou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes, BACURAU. Dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles com distribuição da Vitrine Filmes (Brasil), BACURAU conta a história de moradores de um pequeno povoado do sertão brasileiro que descobrem que a comunidade não consta mais no mapa. A programação que começa a partir das 17h contará ainda com feira criativa, com artigos de artesanato, indumentárias, comidas veganas e outros, discotecagem, exibição do curta metragem Castigo e show com a banda Madamme Bovary. Local: Cine teatro Verônica Moreno do Complexo Cultural Samambaia

Data: 18 de janeiro de 2020 – Classificação Etária 16 anos

Entrada: 20 inteira e 10 meia (ingressos a venda no Sympla) https://bit.ly/39Gx7BX

 

17/01 – 19:30– Exposição – Para Além das Algemas

 

Para Além das Algemas é uma exposição que revela parte das sensibilidades, afetos e angústias em imagens e poesias feitas por adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação de Planaltina (UIP), Recanto das Emas (Unire), São Sebastião (Uiss) e Santa Maria (Uism).

Fruto de oficinas de formação do Projeto Onda / Vozes da Cidadania, uma iniciativa do Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc que em 2019 atendeu cerca de 180 adolescentes e jovens nestas unidades. Entrada franca. Classificação livre.

 

19/01- Swing Samba

 

Roda de samba, apresentação de música popular. A partir de 12h até anoitecer, uma verdadeira maratona de samba. Entrada franca. Classificação livre.

 

Casa do Cantador

 

 

17/01 – 20h Repente Pé de Parede

 

O evento “Repente Pé de Parede” acontecerá na próxima sexta-feira (17), às 20 horas, na Casa do Cantador. A atração musical será a dupla de repentistas: Zé Emilson Ferreira do Ceará e Nelson de Pernambuco. Entrada Franca. Classificação livre.

 

Cine Brasília

 

O Cine Brasília conta com estreias de títulos emblemáticos para a programação desta semana. Dos dias 13 a 22 de janeiro, o público poderá conferir na telona os longas-metragens premiados nos principais festivais de cinema do mundo “Parasita” e “Synonyms”. Continua em cartaz o sucesso de bilheteria “O Farol”.

 

Programação:

 

13/01/2020 até 22/01/2020

 

16h – Parasita
18h15 –Synonymes
20h30 – O Farol
Serviço: Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões.
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

 

Catetinho

 

Exposição Permanente – O Palácio de Tábuas

 

Reconstituição da vida cotidiana da casa durante o período da construção de Brasília, quando abrigou o Presidente Juscelino Kubitschek e seus assessores. Os móveis e objetos originais foram preservados. Horários: 9h às 17h. Entrada Franca. Classificação livre.

 

Espaço Cultural Renato Russo

 

Iª Mostra de Artes Visuais das Oficinas do Espaço (18/12 a 09/02)

Pintura, desenho, aquarela, ilustrações, história em quadrinhos, fotografia e muitos outros cursos foram oferecidos ao longo de 2018 no Espaço. Foram 187 oficinas ao longo de 12 meses, contando com a participação de 3817 alunos. Horário: a partir das 18h. Classificação: Livre. Gratuito.

17/01- Seja: O Filme
20h
O documentário foi idealizado com o propósito de chamar a atenção da sociedade para questões importantes através de um olhar artístico, criativo e revolucionário. Demonstra o anseio que essa geração tem de transformar o atual mundo caótico e competitivo em um lugar de pertencimento e união. Entrada Franca, 12 anos – Teatro de Bolso.

 

17 a 19/01- Teatro – AB – Reação

 

Sex-sáb – 20h – domingo 19h

Com direção de Bruna Martini e grande elenco, o espetáculo com formato de show performático conta a história de quatro adolescentes que se juntam para formar uma banda de punk vegetariano, SHUNK. Nessa banda, eles lidam com o conflito de ser adolescente e reivindicam sua verdade de discurso no mundo. Entrada: R$ 30 (inteira), 14 anos – Teatro Galpão.

 

17 a 26/01 – Teatro – O Barbeiro de Sevilha – Sex-sáb – 20h – domingo 19h

Com direção de cena de Janette Dornellas e produção de Hyandra Ello, o espetáculo é uma produção da Confraria de óperas e conta a história de Fígaro, um barbeiro que faz de tudo na sua cidade! A trama começa com o Conde Almaviva, disfarçado como um pobre estudante, fazendo uma serenata sob o balcão de Rosina.
Entrada: R$ 30 (inteira), Livre – Sala Marco Antônio Guimarães

 

Achadouros – Teatro para Bebês

 

18 a 26/01 – Sábado e domingo 11h e 16h
As atrizes Caísa Tibúrcio e Nara Faria, na companhia do diretor teatral José Regino por meio de encenação poético-teatral, da exploração da linguagem não verbal e do conceito de ressignificação de objetos do cotidiano, propõe uma reflexão sobre a chegada do ser humano ao mundo e sobre sua capacidade transformadora e criativa. Entrada: R$ 30 (inteira), Livre – Sala Multiuso.

 

Espaço Oscar Niemeyer

 

Exposição “Bio O Quê?” (até 21/01)
De iniciativa conjunta da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, do Laboratório Ábaco e da Universidade de Brasília, a mostra retrata a Bioarte como meio de reflexão sobre a Bioeconomia.
Com obras de 26 artistas, conceitualmente alinhadas sob a tendência em voga da Bioarte, a “Bio O quê?” tem por finalidade levar o público a refletir sobre as relações sustentáveis entre o homem e o meio ambiente.
Terça a domingo: 9:00 às 17:00
Classificação: Livre
Gratuito

 

Memorial dos Povos Indígenas

 

Agro não é Pop (até 16/02)

A exposição “O Agro Não é Pop”, do artista plástico indígena Denílson Baniwa. A mostra revela de forma sensível e simbólica a representação das propagandas em relação aos alimentos e o modo de vida do ser humano. Por meio de metáforas, misturando personagens de casos chocantes envolvendo índios, como a morte do Pataxó Galdino, o expositor guiou os educadores por suas pinturas, gravuras e retratos expostos no Memorial.
Também permanecem em cartaz as exposições “Menire Bê Kayapó Djàpêj” (A mulher Kayapó e seu trabalho), e o Bosque das Línguas Indígenas.
Horário de visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.
Classificação: Livre
Gratuito

 

Museu Nacional da República

 

“Simbólico Sagrado” (até 19/01)

Com curadoria de Thaís Darzé, “Simbólico Sagrado” selecionou 95 peças dos autores. “É um diálogo entre as obras de dois artistas negros, baianos, que tiveram o auge de suas produções durante as décadas de 1960 a 1980. Traduzem valores e posicionamentos muito semelhantes, ao defender e difundir cultura e legado dos povos africanos, pensando numa identidade genuinamente brasileira”, explica a curadora.

 

“Almandrade” (até 19/01)

 

Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das oficinas de arte do Museu de Arte Moderna da Bahia e Palacete das Artes, Almandrade participou de várias mostras coletivas e individuais. Integrou movimentos de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações no Brasil e exterior. É um dos criadores do Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia que editou a revista “Semiótica” em 1974.

 

“Doações 2019” (até 19/01)

 

O público ainda poderá visitar, rever ou conhecer trabalhos de artistas que passaram pelo Museu Nacional da República este ano e cederam peças que agora integram o acervo do equipamento.
Com o nome “Doações 2019”, visitantes apreciarão trabalhos de artistas consagrados como Yutaka Toyota, Sandra Mazzini, Ding Musa, Pedro Juan Gutiérrez, Gerson Fogaça, Lia do Rio, Nilce Eiko Hanashiro, Mila Petrillo entre outros.

 

Museu Vivo da Memória Candanga

 

Exposição- “Image”, Casa Azul – Dupla exposição dos artistas plásticos Pierre & Costerus “Candido Faria – Um brasileiro em Paris”, Sala de Exposição.

Composta de três acervos que dialogam entre si com a temática de memória, afetividade e registro do tempo. Apresenta registros de vídeos, objetos e exemplares de lambretas antigas. A mostra fica em cartaz até março de 2020.
O local ainda abriga e exposição permanente “Poeira, Lona e Concreto”, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro.

Horário de Funcionamento: Segunda a sábado 9:00 às 17:00

 

 

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole.
Confira os dias e horários das oficinas:
Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários.
Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina do Papel (Fundação Pedro Jorge) – Quarta-feira de 14h às 17h.
Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta das 14h às 17h.