Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/02/18 às 9h31 - Atualizado em 13/11/18 às 15h31

Escolas de samba levam mais de 5 mil pessoas à rua

COMPARTILHAR

 

O inédito evento Brasília Samba Show foi incrível. Momento histórico para o Carnaval de Brasília celebrar a retomada da participação das nossas escolas de samba na folia candanga. Quer saber o que rolou nesta inesquecivel noite de bamba?

 

As escolas de samba do Distrito Federal voltaram com mais força a participar do Carnaval de Brasília em 2018 na noite desta sexta (2), no Brasília Samba Show. O evento, realizado pela Secretaria de Cultura entre a Torre de TV e a Funarte, reuniu mais de 5 mil pessoas que foram prestigiar apresentação das seis agremiações do grupo especial, com participação especial de Mart’nália e Xande de Pilares.

 

No ano passado, as escolas desfilaram junto com alguns dos blocos de rua do DF, como forma de reinserção destes grupos no Carnaval de Brasília. Agora, com cachês mais robustos (R$ 100 mil por agremiação) e uma programação voltada só para elas, as escolas começam a ensaiar uma nova forma de manter viva suas tradições e garantir maior sustentabilidade para suas atividades ao longo do ano e pelos próximos carnavais.

 

O presidente da União das Escolas de Samba de Brasília e da Águia Imperial de Ceilândia, Geomar Leite, o Pará, vê a festa da sexta-feira como uma retomada gradativa dos desfiles em 2019. “Este é o melhor espaço para um sambódromo de Brasília, para competirmos com os de outros estados de igual para igual”, acredita.

 

Esta participação das escolas durante o período carnavalesco também é importante, notou a foliã Amanda Santos, 32 anos, para deixar o Carnaval de Brasília mais colorido. “Não é Carnaval se não tiver um bom samba, com bateria e passistas dançando”, atesta a publicitária que foi curtir a programação do Brasília Samba Show.

 

Já a designer Catarina Ribeiro, de 31 anos, vê uma evolução constante no carnaval da cidade. “Tenho certeza que vai melhorar ainda mais porque a cultura brasiliense valoriza e faz com que a festa fique cada vez maior. Temos uma mistura aqui que é base para esse encontro cultural.”

 

A festa começou às 19h, com performance da escola Império do Guará, seguida pela União da Vila Planalto e Lago Sul e a Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro (Aruc). Depois, quem subiu ao palco foi a sambista Mart’nália, com seu repretório formado por músicas autorais e interpretações de grandes bambas.

 

Entrando a madrugada, os holofotes voltaram-se novamente para as escolas de samba. Bola Preta de Sobradinho entrou em cena com sua bateria, seguida pela Águia Imperial de Ceilândia e a última campeã dos desfiles do Ceilambódromo, Acadêmicos da Asa Norte.

 

Para fechar a noite, a Secretaria de Cultura ofereceu mais um mimo ao público presente, com os sucessos de Xande de Pilares.

 

#BrasiliaTemCarnaval

 

O processo de construção do Carnaval de Brasília tem evoluído desde 2016, quando se iniciaram audiências e consultas públicas com a sociedade civil para definição de marcos legais para a folia da capital. “Podemos nos orgulhar de ter hoje um carnaval marcado pela espontaneiadade dos carnavalescos e produtores culturais, público, democrático e cada vez mais seguro e confortável tanto para quem quer entrar na brincadeira ou prefere ficar em casa”, diz o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

 

Neste ano, o aporte para a estrutura dos blocos será possível graças a investimentos de R$ 5 milhões do governo de Brasília e de R$ 1,4 milhão injetado por meio de acordo de patrocínio entre a Secretaria de Cultura e a cervejaria Ambev.

 

O montante vai custear a logística para as apresentações de blocos de rua e escolas de samba e de eventos diversos promovidos em 19 regiões administrativas.

 

A programação completa está concentrada no site www.brasiliatemcarnaval.df.gov.br.