Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/08/19 às 16h31 - Atualizado em 7/08/19 às 16h43

Escola vai ao Cinema promove debate sobre o impacto causado pelo desperdício de alimentos

COMPARTILHAR

Na manhã de hoje (07) o Cine Brasília foi palco de um debate sobre alimentação consciente. Dentro do 10º Festival Internacional de Cinema e Alimentação Slow Filme, foi exibido o documentário alemão “Tastethewaste- O Sabor do Desperdício” para os alunos inscritos no projeto Escola Vai ao Cinema, fruto da parceria da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) com a Secretaria de Educação.

 

Cerca de 400 alunos da Escola Classe 27 de Taguatinga, CEF 02 da Estrutural, CEF Metropolitana, CEM 12 de Ceilândia, CEF 01 da Candangolândia e Centro de Ensino Elefante Branco assistiram ao filme e participaram de um debate com o fundador do Instituto Ecozinha, o permacultor e chef de cozinha, Paulo Mello Filho. Eles tiraram dúvidas a respeito do desperdício dos alimentos no mundo e sobre a importância do reaproveitamento com atitudes conscientes, além de separação do lixo e a destinação adequada para os resíduos orgânicos.

 

Para Paulo Mello, a iniciativa de promover através do cinema as práticas de alimentação consciente e redução de consumo e desperdício para os jovens cumpre o papel social de conscientização para as novas gerações, que podem fazer com que a cultura do desperdício diminua. “O nosso debate serviu para ressaltar a importância dos ‘3R’ – Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Inserir o assunto para crianças e adolescentes é fundamental para tentar mudar o impacto que o desperdício causa no mundo”, conta.

 

Entre as principais dúvidas dos alunos, o destino no lixo, aspectos econômicos desta cadeia e o aproveitamento de cascas e sementes para receitas sustentáveis e nutritivas. O reaproveitamento de resíduos para produzir ração de animais também foram abordados.

 

Com uma mensagem impactante, o filme “O Sabor do Desperdício” mostra que está em curso uma mudança no pensamento mundial e que já existem pessoas que contrariam as práticas do desperdício de comida com muito engajamento e ideias valiosas. A fome também foi outro ponto polêmico levantado pelos estudantes, provocados pelo documentário que mostra que a comida desperdiçada na Europa daria para alimentar duas vezes todas as pessoas que estão passando fome no mundo.

 

Para a estudante Larissa Oliveira, do Centro de Ensino Elefante Branco, o debate a motivou para conscientizar sua família em comprar menos e consumir toda a comida pensando no próximo e nas pessoas que passam fome. “Precisamos pensar e dar exemplos sobre noções de desperdício e reaproveitamento dos alimentos”, explica.

 

De acordo com a coordenadora do Escola Vai ao Cinema, Ilane Nogueira, a programação especial feita com adolescentes contribui para a formação de um público de opinião com iniciativas sustentáveis e conscientes, construindo um entendimento profundo sobre as práticas de desenvolvimento sustentável. “O Festival Slow Filme abriu o segundo semestre do projeto com uma questão muito importante para os jovens. Esta sessão os ensinou ter uma relação correta com a alimentação, evitando desperdício e gerando consciência coletiva”, revela.

 

Fotos: Ludimila Barbosa / SECEC DF.