Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/07/12 às 13h45 - Atualizado em 13/11/18 às 14h37

Embaixada da Venezuela comemora com festa os 201 anos de independência do país

COMPARTILHAR

 a venezuela

 Com apoio da Secretaria de Cultura do DF, grupos venezuelanos se apresentam em Brasília com ritmos típicos das festas juninas.

Por ocasião das celebrações dos 201 anos da independência da Venezuela, comemorada em 5 de julho, a Embaixada da República Bolivariana da Venezuela traz ao Brasil os grupos Cántaro (música) e Caramba (dança), que se apresentam em Brasília no dia 7 de julho, no Teatro Nacional Claudio Santoro.

A apresentação é uma oportunidade de conhecer o tamunangue e sangueos, ritmos da cultura popular ligados às festas juninas, também celebradas na Venezuela. No país vizinho, o sincretismo das festas de culto a Santo Antônio e São João expressam a riqueza cultural da mistura entre africanos, europeus e indígenas.

No tamunangue há a força dos instrumentos de cordas venezuelanos , uma “batalha de garrotes” – similar ao maculelê brasileiro – e uma dança festiva, descendente das quadrilhas europeias. Já no Sangueos, manifestação oriunda do centro do país, sobrepõem-se os tambores africanos.

Para o embaixador, Maximilien Arveláiz, esses ritmos representam o coração da cultura venezuelana e o contato com eles vai fortalecer ainda mais a integração entre os dois países. “Essas atividades fazem parte de um esforço permanente de nossa missão em socializar a cultura venezuelana com os brasileiros. O Brasil vai descobrir que temos muito mais características culturais em comum do que imaginamos”, disse.

Em Brasília, além do concerto, os grupos oferecerão uma oficina de música e dança venezuelana, no dia 8, também no Teatro Nacional.

Cántaro e Caramba

Cántaro é um grupo de música popular e tradicional com mais de 25 anos de formação que se dedica à pesquisa, interpretação e difusão das diversas manifestações populares e tradicionais da Venezuela.

O grupo Caramba também prioriza a pesquisa da cultura e festas tradicionais do país. É composto por jovens que, apesar da pouca idade, têm se dedicado a aprender as diferentes danças venezuelanas, apresentando-as com originalidade e tradição.

Com o objetivo de difundir o resultado das pesquisas que produzem, todos os integrantes são, além de profissionais da música e dança, professores da Escuela Popular de Arte Otilio Galíndez e de outros espaços de formação na Venezuela.

Serviço

Sábado, 7 de julho

Teatro Nacional de Brasília

Sala Martins Pena

19h

Domingo, 8 de julho

Oficina de música e dança venezuelana

Teatro Nacional de Brasília

Sala Martins Pena

15h

Entrada Franca

Assessoria de Comunicação

Sílvia Alvarez

(61) 3365-3327 / 9908-5590