Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/11/18 às 19h10 - Atualizado em 14/11/18 às 9h47

Eleito novo Conselho de Cultura do DF

 

Pela primeira vez, escolha dos representantes da sociedade civil aconteceu em um pleito democrático

 

 

Os participantes do III Encontro dos Conselhos Regionais de Cultura fizeram história na tarde deste domingo (11). Num processo democrático até então inédito, os conselheiros que representam as várias regiões administrativas do Distrito Federal escolheram, por meio do voto, a nova composição da sociedade civil no Conselho de Cultura do DF. Outro resultado importante deste encontro foi a definição do desenho das macrorregiões de cultura, para facilitar o diálogo entre as instâncias de controle e participação social.

 

Veja a galeria de fotos do III Encontro dos Conselhos Regionais de Cultura.

 

Os agentes culturais escolhidos para representar a sociedade civil  no CCDF, como conselheiros titulares, durante o triênio 2019-2021, foram: no segmento arte e cultura, Divino Gomes e Wellington Abreu; Iara Alves, no segmento políticas afirmativas; e Fernanda Morgani, na economia criativa. Confira ao final da matéria um breve perfil de cada um deles. 

 

Para a subsecretária de Cidadania e Diversidade Cultural e atual presidenta do Conselho de Cultura do DF, Jaqueline Fernandes, a expectativa é que esse modelo democrático seja, a partir de agora, uma característica permanente nos processos de construção das políticas públicas culturais. “Com a Lei Orgânica da Cultura, o CCDF passou a ter um papel muito mais propositivo e normativo em relação às políticas públicas. Então, o empenho dessa nova composição do Conselho, para os próximos três anos, com certeza vai ser determinante para o futuro das políticas públicas de cultura do DF”, afirmou.

 

Macrorregiões – Os conselheiros regionais também tiveram o desafio de elaborar de forma coletiva o desenho das oito macrorregiões de cultura do Distrito Federal. Conforme estabelecido na Lei Orgânica da Cultura (LOC), em cada macrorregião será instituído um Comitê Macrorregional de Cultura, formados por dois conselheiros de cada macrorregião e um conselheiro do CCDF. O objetivo é facilitar a interação dos conselhos regionais e o Conselho de Cultura, favorecendo as trocas de experiências entre as RAs e ampliando ainda mais as formas de participação social nas políticas culturais. “Com as macrorregiões, estamos em busca de diminuir esse afastamento histórico que sempre houve entre os conselhos regionais e o CCDF. Assim, esperamos fortalecer uma rede permanente de diálogo, articulação e formação entre conselhos regionais e o Conselho de Cultura”, explicou Jaqueline Fernandes.

 

Colegiado deliberativo – Instituído em outubro de 1989, o Conselho de Cultura do Distrito Federal (CCDF) é órgão colegiado, de caráter deliberativo, consultivo, normativo e fiscalizador, que se configura como espaço permanente de articulação e participação social nas políticas públicas culturais. As principais competências do CCDF são: propor políticas, programas e diretrizes, formular subsídios, acompanhar e avaliar as políticas públicas de cultura do Distrito Federal; avaliar ações e metas consolidadas no Plano de Cultura do Distrito Federal; deliberar sobre programas, processos e ações que lhe forem submetidos, inclusive pela Secretaria de Cultura.

 

 

Perfil dos conselheiros de cultura eleitos para o triênio 2019-2021
(em ordem alfabética)
CONSELHEIROS TITULARES 

Divino Gomes (arte e cultura)

Fórum de Cultura do Distrito Federal

 

 

Divino Gomes de Dias é professor de arte da Secretaria de Educação do DF. Bacharel em Cênicas pela faculdade Dulcina de Morais e  fundador da Cia. Lábios da Lua, atua no movimento cultural do Distrito Federal desde 1984. Já foi presidente do Conselho de Cultura do DF e também presidiu o último Seminário de Cultura do DF (2017), que culminou com a apresentação de um pacote de emendas para a Lei Orgânica da Cultura. No Gama, foi conselheiro de cultura e DRC por duas gestões, sempre eleito pela comunidade.

 

 

 

Fernanda Morgani (economia criativa)

Fórum de Cultura do Distrito Federal

 

 

Fernanda Barbosa Adão, conhecida como Fernanda Morgani, é ativista cultural há 21 anos. Conselheira de cultura do Guará desde 2012, utiliza seus conhecimentos acadêmicos em administração, desing thinking e planejamento estratégico na construção, prática e execução de projetos que abordam, por meio da arte, questões de gênero, fortalecimento do Sistema de Cultura do DF, cultura afro-brasileira, economia criativa, análise e modelagem de processos para o fomento de políticas públicas sociais.

 

 

 

Iara Alves (políticas afirmativas)

Casa Frida/Movimento Supernova

 

 

 

Iariadney Alves da Silva é advogada popular e atual presidenta do Conselho Regional de Cultura (CRC) de São Sebastião, tendo sido a conselheira mais votada da atual gestão. Atua na cultura há dez anos nas áreas de teatro, dança e produção cultural. Integrou o coletivo cultural Supernova de 2008 a 2014. É integrante da Associação Lésbica Feminista Coturno de Vênus, do Fórum de Mulheres do DF e Entorno e do Fórum de Entidades de São Sebastião. Atuou como delegada das mulheres negras do DF no Encontro Nacional, Co-gestora. É Coprodutora da Casa Frida – Ponto de Cultura e acolhimento a Mulheres e Pesquisadora no projeto a Voz da Cultura de São Sebastião. Também é atriz e produtora do Grupo de Teatro Negro – “Nós que aqui estamos”.

 

 

Wellington Abreu (arte e cultura)
Hierofante Cia de Teatro

 

 

Wellington José Lourenço de Abreu é ator de teatro e cinema, palhaço, capoeirista, produtor cultural e diretor de teatro. Licenciado em Educação Artística e Pós-Graduado em Metodologia do Ensino de Arte, recebeu o Título de Cidadão Benemérito de Brasília em 2018 pela Câmara Legislativa do Distrito Federal. É um dos fundadores do Coletivo de Cinema em Ceilândia (CEICINE). Também é um dos gestores do CEU das Artes em Ceilândia Norte (eleito pela comunidade). Ajudou a idealizar o Cinema na Placa em Ceilândia. Produziu e organizou o Intercâmbio Cultural Brasil/São Tomé e Príncipe 2008/2010/2012 e 2017, o Projeto Teatro e Libras 2017/2018, o Mais Cultura CEF 16 Ceilândia Norte – Ministério da Educação 2016.