Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/06/18 às 16h51 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Editais fortalecem descentralização da Cultura no DF

COMPARTILHAR

Ações vão levar música, grafite e oficinas a Samambaia, Itapoã, Santa Maria e Ceilândia

 

A Secretaria de Cultura do Distrito Federal ampliou o investimento em mais atividades e ações culturais fora do Plano Piloto, com o lançamento de dois novos editais de chamamentos públicos para seleção de artistas e promoção cultural. O primeiro para os eventos Sabadão do Forró e Festival Regional de Repentistas do DF, ambos na Casa do Cantador, e o segundo para contratações de artista ou grupo musical, grafiteiro e oficineiro para o projeto Brasília de Todas as Culturas, um convênio com o Ministério da Cultura (MinC), que permitirá levar a produção cultural para Samambaia, Itapoã e Santa Maria.

 

Saiba mais e inscreva-se nos editais aqui

 

Para o governador Rodrigo Rollemberg, os editais ajudam a descentralizar recursos culturais do Plano Piloto. “Com esse tipo de ferramenta, já podemos ver as tradições do forró e do repente se fortalecerem em regiões como Ceilândia”, reforça o chefe do Executivo local.

 

“São mais dois passos que estamos dando para espalhar a cultura de forma democrática para nossas cidades”, reforça o secretário de Cultura, Guilherme Reis. “Estamos fortalecendo a promoção cultural na ponta, ao passo que criamos 27 Conselhos Regionais de Cultura, com mais dois vindo aí. Vamos ainda entregar mais um CEU das Artes em Ceilândia, reabrir o Espaço Cultural Renato Russo na 508 Sul; já estamos equipando os complexos de Samambaia e Planaltina e depois vamos trabalhar para concluir o Centro Cultural de Ceilândia, depois de uma luta de 37 anos da comunidade”, completa.

 

As ações se alinham à política de descentralizações de atividades culturais promovidas desde 2015 pela secretaria, com o intuito de democratizar o acesso à cultura em todo o DF e valorização da população das regiões administrativas. Nesse sentido, os editais se somam à iniciativas como como o FAC Regionalizado, que estabelece cotas do Fundo de Cultura do DF para as RAs.

 

O edital da Casa do Cantador selecionará 50 trios de forró para o projeto Sabadão do Forró e 9 (nove) duplas de repente para o Festival Regional de Repentistas do DF a serem realizados na Casa do Cantador em Ceilândia – DF no período de julho a dezembro de 2018.

 

O Festival Regional de Repentistas do DF será realizado em dois dias de evento, no qual se apresentarão até cinco duplas de repentistas em cada dia. No Sabadão do Forró serão quinze edições, nas quais se apresentarão de três a quatro trios de forró pé de serra em cada edição. Os shows terão entrada gratuita e será investido o total de R$472 mil reais na programação que dura o ano inteiro.

 

Francisco de Assis, diretor da Casa do Cantador, acredita que a maior parte do prestígio que os artistas populares do forró e do repente têm no país se deve às ações realizadas no espaço cultural. “A Casa do Cantador se transformou num braço da Secretaria de Cultura na Ceilândia. É a referência nacional para os forrozeiros. Este edital vai dar oportunidade para que mais de 180 artistas apareçam”, prevê.

 

Brasília de Todas as Culturas

 

O segundo edital lançado na tarde desta terça (19) foi o Brasília de Todas as Culturas. Realizado em parceria com o Ministério da Cultura por meio de convênio federal, promoverá uma oferta diferenciada de atividades culturais e artísticas para a população do DF nos meses de Julho e Agosto de 2018.

 

Nesta etapa, o projeto prevê o investimento de R$185 mil e enfatiza a pluralidade cultural do DF, valorizando as diversas identidades de Brasília, formada por várias linguagens e tradições do nosso país. As ações, que serão realizadas em 03 Regiões Administrativas: Samambaia, Itapoã e Santa Maria entre os dias 20 e 22 de Julho de 2018.

 

Serão selecionados 27 artistas e grupos musicais, sendo nove do samba, nove da cultura popular e nove do blues/soul; seis grafiteiros; seis DJs ou coletivos de hip-hop e 24 oficineiros, que deverão oferecer oficinas de percussão, catira, rabeca, pife, viola, oficina de dança, workshop de guitarra e instrumentos relacionados aos gêneros.

 

Por meio do incentivo à ocupação do espaço público, o projeto contribui para fortalecer o sentimento de pertencimento da população com a cidade em que vive, valorizando a produção cultural, local, gerando renda para cadeia produtiva dos diversos setores da economia, relacionados direta ou indiretamente com a cultura, beneficiando toda a população do Distrito Federal.