Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/06/14 às 17h24 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Do Maranhão para Brasília: Bumba-meu-boi encanta população do DF

COMPARTILHAR

 

Festa completa 51 anos e mantém viva a cultura nordestina na capital do país


A tradicional Festa de São João do Boi de Seu Teodoro, em Sobradinho, completa 51 anos em 2014 e traz para o centro do país um pedacinho da cultura maranhense. O evento, que recebeu mais de 12 mil pessoas em três dias de festa, mostra o Ciclo do Bumba-meu-Boi. Os preparativos para a festa começam a ser produzidos no Sábado de Aleluia. A celebração é consolidada na véspera de Dia de São João, comemorado no dia 24 de junho.

No sábado, dia 21, primeiro dia de evento, foi feita a apresentação do boi aos presentes. Segundo Guarapiranga Freire, 51 anos, presidente e filho de Seu Teodoro, criador da festa, há nove anos a celebração era feita apenas no dia de São João, com o batismo da renovação do couro do boi. Desde que assumiu o evento, criou uma grande festa junina, que recebe todos os anos milhares de pessoas e passou a ter três dias em cada edição. “Temos a apresentação do boi, que acontece no sábado, o Tambor de Crioula, no domingo, e o batismo da renovação do couro do boi, na véspera do dia de São João”, explicou Guará, como é conhecido na região.

Ele informa que qualquer pessoa pode participar da celebração, desde que apareça no primeiro sábado de ensaio para dar continuidade ao evento. Segundo ele, a idade não é um empecilho para quem quer participar. “Hoje, aproximadamente 60 pessoas estão dedicadas à celebração da festa de São João. Temos desde crianças de dois anos de idade, até senhores de 70 anos participando do evento. Todos são bem-vindos”, destacou.

No domingo, o grupo liderado pelo artesão, Gilvan do Vale, 43 anos, apresentou um pouco do Tambor de Crioula para os visitantes. Gilvan contou que a apresentação, que mistura dança e canto, era uma espécie de homenagem a São Benedito feita pelo escravos. A cantoria e a dança é feita por homens e mulheres, conhecidos como coreiros. Enquanto os rapazes cantam e tocam instrumentos, as mulheres mostram todo o gingado com saias bem rodadas e entoam em uníssono os cantos apresentados. Segundo Gilvan, geralmente as músicas são criadas no momento da apresentação. “Não há uma apresentação igual a outra”, comentou.

A celebração oficial da troca do couro do boi aconteceu na noite deste domingo (23) no Centro de Tradições Populares de Sobradinho. O Bumba-meu-boi é batizado após a meia-noite, em um momento de religiosidade, fé e devoção a São João. Todos os anos o novo couro do boi é trazido do Maranhão e só é trocado no ano seguinte. O grupo, que dedica a vida a manter e divulgar a cultura Nordestina, segue viagem hoje para o Maranhão, onde ficarão por uma semana e farão uma série de apresentações mostrando um pouquinho da cultura maranhense cultivada no Distrito Federal.

Festa Junina
Além da celebração do Bumba-meu-Boi, o Centro de Tradições Populares recebe ainda uma grande festa de São João. Bandeirinhas, barracas de comidas típicas, passeio de pônei e brinquedos infláveis para as crianças, quadrilhas e muito forró e música sertaneja também animam os participantes da festa. “Eu e mais sete pessoas da minha família estamos vindo pela primeira vez para cá. É tudo muito organizado e bonito. Além de nos divertir, sempre aprendemos um pouquinho de outras culturas”, afirmou a recepcionista Luana Carvalhares, 26 anos.

Já é a oitava edição que o publicitário Reginaldo Ricardo, 47 anos, e a estudante Ana Paula Ricardo, 32 anos, participam do evento. Segundo Reginaldo, morador de Sobradinho, a festa não para de crescer. “É sempre muito legal ver essa diversidade em um lugar só. Aqui podemos encontrar práticas e festas que seriam de tão difícil acesso pra gente e de repente está aqui, no quintal de casa. É muito gostoso”, ressaltou.

História
O evento é uma realização do Centro de Tradições Populares, em parceria com o Governo do Distrito Federal, Secretaria de Cultura, Administração de Sobradinho e Governo do Maranhão. O grupo folclórico Bumba-Meu-Boi e Tambor-de-crioula foi idealizado em 1963 por Teodoro Freire (falecido em 2012). As paixões e a saudade da cidade natal, impulsionaram o sonho do maranhense a ter um “Boi” no Planalto Central.