Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/07/19 às 15h37 - Atualizado em 3/07/19 às 15h53

Diretor de “Cinema, Aspirina e Urubus” tem pré-estreia de novo filme no Cine Brasília

COMPARTILHAR

“Estou me guardando para quando o carnaval chegar”, de Marcelo Gomes, conta a história de Toritama, onde tudo gira em torno de jeans e folia

 

“Estou me guardando para quando o carnaval chegar”, do diretor Marcelo Gomes (o mesmo de “Cinema, Aspirina e Urubus, 2005), tem pré-estreia no Cine Brasília em 10 de julho. O documentário trata da vida em Toritama, cidade a 170 km de Recife (e do mar), que vive do fabrico de jeans – “o ouro azul”, como diz um morador local –, um lugar onde se trabalha até 14 horas por dia, o que “é melhor que ir para São Paulo”, afirma outra habitante da cidade de menos de 40 mil habitantes.

 

Daí o nome do filme, que remete a todas as felicidades que o trabalhador adia em nome da sobrevivência, no consagrado sucesso musical de Chico Buarque de 1972, trilha de filme “Quando o carnaval chegar”, de Cacá Diegues, no mesmo ano. No Carnaval, para as pessoas de Toritama, “nem que seja pagando empréstimo a juros”, desabafa outra fabricante de calças, o negócio é ver o mar.

 

Na cidadezinha pernambucana com nome de origem guarani (“terra alegre”, entre outras acepções), até as pedras (“tori”) sabem que no carnaval vale tudo, menos ficar em Toritama.

 

Ainda na programação do Cine Brasília, segue o polêmico “Divino Amor”, de outro pernambucano, Gabriel Mascaro, e foi programada a reprise do clássico de Luchino Visconti “O Leopardo”.

 

Confira abaixo fichas técnicas, sinopses e programação.

 

“Estou me guardando para quando o carnaval chegar”

De Marcelo Gomes (2019, documentário, Brasil, 83 minutos, 10 anos)

Sinopse

A cidade de Toritama é um microcosmo do capitalismo. A cada ano, mais de 20 milhões de jeans são produzidos em fábricas de fundo de quintal. Os locais trabalham sem parar, e os moradores são orgulhosos de serem os donos do seu próprio tempo. Durante o Carnaval, o único momento de lazer do ano, eles transgridem a lógica da acumulação de bens, vendem seus pertences e fogem para as praias atrás de felicidade. Com a Quarta-feira de Cinzas, um novo ciclo de trabalho se reinicia.

 

“Divino Amor”

De Gabriel Mascaro (2019, ficção, Brasil, 100 minutos, 18 anos)

Sinopse: No Brasil, o ano é 2027. Uma devota religiosa (Dira Paes) usa seu ofício num cartório para tentar demover solicitantes de divórcios de seu intento. Enquanto espera por um sinal divino em reconhecimento aos seus esforços, que é engravidar, ela mergulha numa crise em seu próprio casamento. O sacramento ganha uma leitura pouco ortodoxa, com práticas sexuais entre casais.

 

“O Leopardo”

De Luchino Visconti (1963, drama, Itália, 14 anos)

Sinopse: Durante o conturbado processo de unificação italiana na Sicília, o príncipe Don Fabrizio (Burt Lancaster) testemunha a decadência da nobreza e ascensão da burguesia, lutando para manter seus valores em meio a mudanças políticas. O filme ficou com a Palma de Ouro no Festival de Cannes do ano do seu lançamento. Baseado romance homônimo de Giuseppe Tomasi di Lampedusa. Alan Delon e Claudia Cardinale recheiam o elenco de estrelas.

 

Programação do Cine Brasília (4 a 10 de Julho)

 

4, quinta-feira

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

5, sexta-feira

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

6, sábado

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

7, domingo

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

8, segunda-feira

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

9, terça-feira

16h- Divino Amor

18h- Divino Amor

20h- O Leopardo

10, quarta-feira

16h- Estou me guardando para quando o carnaval chegar

18h- Estou me guardando para quando o carnaval chegar

20h- O Leopardo

Obs: Haverá sessões nos dias 8 e 9 de julho devido a recesso da Orquestra Sinfônica

 

Ingressos a R$ 12 (inteira); bilheteria não aceita cartões

Entrequadra Sul 106/107, telefone: (61) 3244-1660