Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/03/18 às 22h50 - Atualizado em 13/11/18 às 15h31

Cultura promove consciência ambiental por meio da arte

COMPARTILHAR

Com o propósito de promover a importância da sustentabilidade do meio ambiente por meio da arte, a Secretaria de Cultura espalhou atrações artisticas ao longo de toda a programação da Vila Cidadã, no oitavo Fórum Mundial da Água.

 

No início da tarde, a Cia. Lumiato encantou desde crianças pequenas a turistas estrangeiros com seu teatro de sombras, com sua adaptação do folclore da Senhora das Águas em Iara – O Encanto das Águas. Na sequência, o Espaço Criança da Vila Cidadã recebeu a Cia. Titeritar Mágicas Aquáticas, que deixou a todos os convidados impressionados com ilusionismo. “Fui pega de surpresa. Não esperava entrar aqui (na Vila Cidadã) e me deparar com momentos tão divertidos, como se estivesse em um circo”, disse a visitante Rafaela Souza, acompanhada da filha Valentina, que não desgrudava o olho do palco.

 

Para encerrar a programação lúdica da Vila Cidadã, o mímico Miquéias Paz fez todo mundo entrar na brincadeira com o impressionante teatro corporal de seu show Mimicando.

 

Com expectativa de receber 30 mil pessoas durante o 8º Fórum Mundial da Água, a Vila Cidadã é o espaço do encontro internacional aberto à população. Até 23 de março, ela ficará montada no estacionamento do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Esta é a primeira edição do fórum com tanto espaço aberto para a população.

 

Programação deste domingo

 

A Vila Cidadão segue recebendo diversas atrações. Às 16h, com A incrível viagem de Pingo, da Voar Teatro de Bonecos; às 18h, com Circo Artetute DF, espetáculo de palhaços; e às 20h com o show da banda Ciclone na Muringa.

 

No Parque Asa Delta, na orla do Lago Paranoá, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro recebe o festival Águas de Março. O conjunto apresenta obras relacionadas ao tema, às 18h: O Rio Moldávia, de Smetana; Danúbio Azul, de Strauss; La Mer, de Debussy; As Oceânides, de Sibelius; e a Sinfonia nº 6 – Cena à Beira de um Riacho, de Beethoven. Fecha a série a brasileira Planeta Água, de Guilherme Arantes. Regidos pelo maestro Cláudio Cohen, os músicos se apresentam de graça.

 

Antes da Orquestra Sinfônica, às 17h, acontecerá o Ritual Mãe D’Água, baseado numa tradição praticada na região do São Francisco. O ritual em homenagem ao Lago Paranoá contará com dança e música. Para representar os povos das águas do pacífico, foram convidados um dançarino tahiano e a dançarina Renata Marzon, para a apresentação de HULA – dança havaiana tradicional. Foram convidados ainda, indígenas e grupo afro-brasileiros para fazer um ritual que envolve música e dança, reverenciando às águas.

Às 19h30, o trio instrumental brasiliense Muntchako mistura eletrônica e sons orgânicos e sintetizados no palco do festival. Samuel Mota (guitarra, synths e programações) fornece o vértice mais eletrônico do trio, com viés dub e reggae. Rodrigo Barata (bateria, samples), DJ e pesquisador, adiciona as batidas, e Macaxeira Acioli (percussão, samples), traz a influência nordestina e propõe fusões musicais.

 

Fechando a programação, André Abujamra trará para Brasília seu novo trabalho, Omindá, com a participação de 5 músicos e projeções de vídeos durante o show, com imagens que registram o projeto. O registro audiovisual tem a participação de artistas de 13 países (Rússia, Japão, Estados Unidos, Argentina, Uruguay, Índia, Mali, França, Portugal, Bulgária, Jordânia, República Checa e Brasil) e será lançado em vinil, plataformas digitais, cd, show e documentário. O lançamento oficial do Omindá será no Auditório do Ibirapuera, São Paulo, de 23 a 25 de março. O show de Brasília, às 20h30, será o pré-lançamento.

 

A programação completa do fórum está aqui.