Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/01/18 às 15h58 - Atualizado em 13/11/18 às 15h07

Cultura investe no Carnaval de 19 regiões administrativas

COMPARTILHAR

A Secretaria de Cultura amplia o investimento no Carnaval Brasília 2018 com ênfase no caráter público, democrático e descentralizado desta que é a maior manifestação cultural popular brasileira. Com aporte financeiro 50% maior do que o de 2017, a Cultura vai custear a logística para as apresentações dos blocos de rua, das escolas de samba e eventos diversos promovidos em 19 regiões administrativas.

 

Serão investidos R$ 5 milhões, negociados de forma direta pelo governador Rodrigo Rollemberg com o Legislativo para garantir mais verba para blocos de rua e escolas de samba e, com isso, mais conforto ao folião. Do total disponibilizado, R$ 525 mil serão destinados à contratação de 40 artistas locais por meio de chamamento público, que vão se apresentar nos blocos em programação a ser definida. O governo de Brasília se organiza para atender uma projeção de no mínimo 2 milhões de foliões festejando nas ruas do Distrito Federal durante o período carnavalesco.

 

Uma das novidades para o Carnaval deste ano é a realização de um evento especial para apresentação das seis escolas de samba do grupo especial, no dia 2 de fevereiro, entre a Torre de TV e a Funarte, com a presença de duas atrações nacionais, ainda em fase de negociação.

 

O Carnaval de rua de Brasília cresceu bastante nos últimos anos. Enquanto em 2015 a folia reuniu 370 mil pessoas, em 2017 o público saltou para 1,5 milhão de foliões. Para garantir que essa manifestação tão importante da cultura brasileira permaneça pública, gratuita e segura para população, o governo do Distrito Federal facilitou o processo de cadastramento de blocos e a emissão de alvarás e licenças para as manifestações artísticas.

 

Até o momento, o Centro Integrado de Atendimento ao Carnavalesco (CIAC) contabiliza 101 blocos (60 do Plano Piloto e 41 de outras regiões administrativas) e 173 eventos (100 no Plano Piloto e 73 em outras RAs) cadastrados para o Carnaval 2018.

 

Além de desburocratizar a organização da festividade e valorizar a diversidade e espontaneidade das manifestações artísticas, a nova política do Carnaval, lançada em 2017 e construída com ampla participação social, garante a preservação do patrimônio histórico e cultural de Brasília e o ordenamento da ocupação do espaço público durante os dias de folia.