Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/04/19 às 18h28 - Atualizado em 10/04/19 às 18h38

Cultura apresenta balanço de 100 dias de governo

COMPARTILHAR

Ações de difusão cultural, gestão do patrimônio e economia criativa são pilares da gestão

 

O balanço dos 100 primeiros dias de governo Ibaneis Rocha foi divulgado nesta quarta-feira (10) em cerimônia no Palácio do Buriti. Os secretários, gestores, presidentes de entidades e autarquias estiveram presentes ao evento que destacou os feitos e desafios de cada área.

 

A Secretaria de Cultura apresentou uma série de ações executadas neste período que visam o aprimoramento dos procedimentos e a construção de políticas públicas efetivas para a Cultura. Entre as ações, estão realização de grandes atividades, revitalização de patrimônios e ações de difusão e fomento cultural.

 

O secretário de Cultura, Adão Cândido, explicou que o ponto de partida da gestão foi a definição dos pilares de atuação: patrimônio, difusão cultural e economia criativa. Com isso, cada área apresentou um planejamento que contempla entregas de curto, médio e longo prazo. “A orientação é promover ações em todo o Distrito Federal, valorizando as mais diversas expressões da Cultura e, principalmente, enaltecendo a cadeia produtiva, responsável pela geração e emprego e renda”, disse.

 

Nesse sentido, grandes eventos como carnaval ganharam um novo modelo, que proporcionou aos cidadãos uma festa mais segura e organizada. Segundo Cândido, o Distrito Federal tem se consolidado como uma cidade carnavalesca – a capital de todos os carnavais – onde diversos ritmos, danças e estilos se misturam e, por isso, é essencial a presença do Estado na folia. Nesse sentido, ele considera que a criação das plataformas, ou setores carnavalescos, trouxe mais conforto aos foliões.

 

“Conseguimos concentrar diversas atividades em ambientes centrais, proporcionando às pessoas um ambiente confortável, com prestação de serviços, segurança e fácil acesso. O resultado foi uma festa bonita, com índices mais baixos de criminalidade e violência”, comemorou.

 

Outra grande conquista da Secretaria foi a equalização do passivo do Fundo de Apoio à Cultura. Em 2019, a SEC fez pagamentos de projetos relativos aos anos de 2016, 2017 e divulgou os resultados dos editais lançados em 2018. “Agora, a Secretaria trabalhará com um orçamento real para os editais de fomento, de maneira que os produtores culturais saberão exatamente quanto e quando receberão os pagamentos dos projetos aprovados”, explicou Adão Cândido.

 

A Cultura também se dedicou nesses 100 dias à criação da política da economia criativa, que é responsável por 3,1% do Produto Interno Bruto do Distrito Federal. Para isso, foi feito uma parceria com a Codeplan a fim de mapear toda a cadeia produtiva nos processos culturais. A ideia é dimensionar esses impactos, não só financeiros, mas de geração de emprego.

 

Esses esforços, segundo o titular da cultura, culminaram com a entrada de Brasília no Latin Cities Culture Forum, a maior rede internacional colaborativa de cidades que debate o papel da cultura na revitalização de grandes centros. “A comunidade internacional viu o potencial da nossa capital de promover, por meio de intervenções urbanas, o desenvolvimento”.