Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/01/14 às 16h57 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Conselheiros do Tribunal de Contas reconhecem avanços no FAC

COMPARTILHAR

 

Realização de editais garantiram seriedade ao Fundo 

Os conselheiros do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) reconheceram as melhorias no processo de seleção e acompanhamento dos projetos pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) a partir de 2011. A declaração está na Decisão nº 5964/2013 proferida pelo Tribunal, em processo que trata de representação do Ministério Público sobre o baixo nível de aplicação dos recursos destinados ao FAC em 2009.

O relatório do TCDF reconhece que “Em 2011, a Secretaria de Cultura criou a Diretoria de Indicadores, responsável pela avaliação da efetividade da aplicação dos recursos repassados. A partir desse exercício, adotou-se a publicação de Editais e os recursos foram alocados à especificidade de cada Programa”.

Segundo o texto, a Secretaria de Cultura atendeu à Decisão nº 989/2012 e diz que “irregularidades foram verificadas e que houve recomendações para adoção de medidas corretivas e de controle”.

Trajetória

Quando a equipe assumiu o FAC, em 2011, ele estava à beira de uma intervenção pelos órgãos de controle, conta o subsecretário de Fomento, Leonardo Hernandes. “Conseguimos, com trabalho, recuperar a credibilidade do FAC junto à sociedade. Começamos a tratar o dinheiro público com mais responsabilidade”, diz. A responsabilidade cresceu ainda mais quando o Fundo passou de R$ 4 milhões para R$ 40 milhões.

Leonardo conta que o Fundo conseguiu isso com três ações principais. A primeira delas foi o foco na realização de editais, o que dá segurança jurídica à destinação dos recursos com transparência e critérios objetivos. O segundo foi a criação de uma diretoria de indicadores, que mostra, com dados, como o dinheiro aplicado à cultura auxilia as comunidades. O terceiro é uma política de fomento que norteia os trabalhos com objetivos claros.