Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/14 às 19h15 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Começa montagem da II Bienal Brasil do Livro e da Leitura

COMPARTILHAR


Evento será na Esplanada dos Ministérios, de 11 a 21 de abril

Começa nesta quarta-feira (26) a montagem da estrutura da II Bienal Brasil do Livro e da Leitura, na Esplanada dos Ministérios. O evento deste ano contará com 128 escritores brasileiros e internacionais, seminários, debates e contações de história de 11 a 21 de abril. O evento tem entrada gratuita.

Nesta segunda edição, a Bienal tratará de alguns assuntos importantes para o resgate histórico do povo brasileiro, como os 50 anos do golpe militar, além de discutir a literatura no feminino, a internet, entre outras. Este ano, os homenageados são o escritor uruguaio Eduardo Galeano e o poeta, dramaturgo e romancista paraibano Ariano Suassuna.

De acordo com o secretário de Cultura, Hamilton Pereira, “nós, brasileiros e latino-americanos, temos uma dívida com nós mesmos. Precisamos refletir sobre nossa história de maneira crítica”, e daí a importância do evento ocorrer 11 dias após os 50 anos do golpe.

“O Brasil não tratou desse assunto adequadamente. Não viramos essa página, e embora não tenhamos pretensão de esgotar esse assunto, é fundamental que a geração que viveu a repressão ilumine e elucide a geração que está aí”, diz.

Estrutura

Serão 70 mil metros quadrados de estrutura total. A área é maior que a da primeira edição, de 2012. Toda a arena do evento terá rampas e sinalização para portadores de deficiência e foi preparada para receber um público flutuante de 10 mil pessoas.

Ao todo, o espaço reservado para a Bienal, no primeiro quadrante da Esplanada, ao lado da Rodoviária, terá mais de 16 m² com obras nacionais e internacionais. Serão quatro pavilhões de stands, sendo um deles especial para literatura infantil e quadrinhos.

Haverá também duas praças de alimentação, dois auditórios, arenas infantil e jovem, além de uma sala específica para receber estudantes.

“Precisamos democratizar o acesso ao livro. A Bienal precisa deixar de ser política de governo e se transformar em política de estado”, completa Pereira.

Entre os grandes nomes previstos para participar do evento estão Naomi Wolf (EUA), Pierre Levy (França), Murong Xuecun (China), Mia Couto (Moçambique) e os brasileiros Ruy Castro, Ana Maria Machado e Mary del Priori.

Também faz parte da programação da II Bienal Brasil do Livro e da Leitura o 2º Prêmio Brasília de Literatura, que entregará R$320 mil para os vencedores em oito categorias literárias.