Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/14 às 18h07 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Circuito de Ocupação Cultural realiza atividade em Planaltina

COMPARTILHAR

Palhaço levou descontração para pacientes do Centro de Saúde

Os pacientes do Centro de Saúde 01 de Planaltina receberam, na manhã da última quarta-feira (19), a visita do palhaço Trompetino como parte da programação do Circuito de Ocupação Cultural para Saúde, projeto realizado pela Fiocruz Brasília em parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF). A ação faz parte das contrapartidas de projetos financiados pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

Idosos e crianças que aguardavam por atendimento vivenciaram momentos de descontração e alegria. Malabarismos, equilibrismo e acrobacias foram técnicas utilizadas para interagir com os pacientes. Trompetino emocionou a plateia ao tocar acordeom e xilofone, arrancou muitos sorrisos e fez todos dançarem.

“Os idosos precisam de alegria, felicidade, amor e carinho. Eu trouxe hoje um pouco do meu trabalho e ofereci muito carinho, flores e corações em formato de balão. Eles me receberam com um sorriso muito gostoso, me abraçaram, me ajudaram e o melhor de tudo, me aplaudiram. Isso é o mais lindo, quando você encontra um idoso é como se você estivesse encontrando uma criança”, conta Trompetino.

Para o aposentado Adolfino Moreira, de 78 anos, foi um momento de renovação. “Foi ótimo, nos ajudou a sair da solidão, da rotina de tristeza e angústia. Momentos como esse previnem doenças, recupera a saúde e nos renova”, afirmou. Encantada com a presença do presença do palhaço, a aposentada Antônia Pereira de Melo, de 76 anos, também aprovou a iniciativa. “No tumulto da nossa vida de tratamento de doenças e da rotina de ida a médicos, é bom ter um dia diferente com esse, alegra a gente. Ninguém fica triste na presença de um palhaço”, opinou.

Alegria aos espaços de saúde
Carlos Atawallpa Coello, o peruano que dá vida ao palhaço Trompetino, realiza teatro de rua e já se apresentou em diversas mostras e festivais com foco na comicidade. Ele acredita que é importante levar cultura para os espaços de saúde para amenizar o clima e os transtornos com a doença. “Geralmente, nesses ambientes sempre tem aquela tensão. Falta interação, alegria, gosto de viver e musicalidade da vida. Todo espaço de saúde deveria ter um trabalho social como o que a gente está fazendo, para levar alegria aos pacientes”, afirmou.

O próximo local que receberá o Circuito de Ocupação Cultural para Saúde é a Fiocruz Brasília, no dia 27 de março.