Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/02/19 às 17h50 - Atualizado em 12/02/19 às 17h56

Cine Brasília recebe lançamento oficial do filme “Revoada”, uma reflexão sobre o cangaço

COMPARTILHAR

Dias, de camisa clara, durante filmagem

 

O Cine Brasília será palco na quinta-feira, 14, de um lançamento nacional. “Revoada”, do cineasta sergipano José Umberto Dias, promete mexer com a cabeça do público ao abordar o fenômeno do cangaço a partir de uma perspectiva que mistura história, dramaturgia, questões de gênero, meio ambiente e problemas existenciais.

 

Formado em Ciências Sociais e radicado na Bahia, onde cursou também cinema, o roteirista, diretor e montador se debruça sobre o tema, buscando explorar facetas menos expostas do cangaço.

 

Ele retrata o cangaço como um fenômeno rural do século passado que dava vazão ao sentido de rebeldia de uma juventude sem perspectiva e que encontrava na aventura e na possibilidade de fortuna um caminho sedutor. Além disso, José Umberto lembra que a entrada de Maria Bonita para o bando, concessão de Lampião, abriu caminho para que a mulher humanizasse o que antes era uma prática de homens apenas.

 

“O cangaceiro tornou-se mais vaidoso, enfeitado. Passou a usar perfume, o que o colocava inclusive em risco, pois denunciava a presença do bando à polícia”, explica o diretor.

 

Outra questão sugerida pela narrativa de José Umberto é que o cangaceiro aprendeu a manejar a natureza de maneira sustentável pelo profundo conhecimento que acumulou de flora e fauna, aliadas na dura luta que travavam no dia a dia.

 

O diretor sergipano, com mais de 20 obras em sua filmografia, exercita no filme o amadurecimento de uma dramaturgia que pretende lidar com as temas existenciais universais. Amor, amizade, ódio, resistência e a certeza da morte ganham novas expressões na caatinga da Chapada Diamantina, onde o filme foi rodado.

Leia também...