Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/02/16 às 18h55 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Cine Brasília exibe Fausto com trilha executada ao vivo

COMPARTILHAR

Sessão única e gratuita do clássico expressionista será no dia 26, às 20h30

O clássico Fausto, de Murnau, ganha exibição especial no Cine Brasília no dia 26 de fevereiro (sexta), às 20h30, com entrada franca. A bilheteria será aberta às 20h, quando começam as entregas de ingresso/cortesia, por ordem de chegada do público, com limite de dois por pessoa. 

O pianista Martin Münch acompanha ao vivo a exibição da obra-prima do expressionismo alemão, executando a trilha sonora. Inspirado na obra imortal de Johann Wolfgang Von Goethe, “Fausto” (1926), último filme de Friedrich Wilhelm Murnau na sua Alemanha natal – antes de se mudar para Hollywood –, é um clássico do expressionismo alemão e um marco na história do cinema mundial. Agora, os brasilienses poderão assisti-lo de uma forma inusitada.

Marco absoluto no cinema alemão, “Fausto” expressa todo o talento de Murnau ao criar pinturas apenas com luz e sombra, imagens e perspectivas retorcidas, típicas do movimento artístico. A obra-prima é baseada na versão de Goethe para a clássica lenda germânica que conta a história do alquimista e médico que faz um pacto com o demônio. O cineasta explora dimensões e profundidade criando uma ilusão de ótica que contribui com a narrativa do filme, que tem atmosfera sombria, dramática e barroca. Mas é pincelado com certas doses de humor e romance.

Expressionismo alemão – Foi um estilo cinematográfico cujo auge se deu na década de 1920. Com “Metrópolis” (1927) de Fritz Lang, “O gabinete do Dr. Caligari” (1919), de Robert Wiener, “Nosferatu, uma sinfonia de horrores” (1922), de Friedrich Wilhelm Murnau, uma nova forma de cinema surgiu.

Temas sombrios de suspense policial e mistério em um ambiente urbano, personagens bizarros e assustadores, distorção das imagens devido à excessiva dramaticidade, tanto na atuação quanto na maquiagem, e cenografia fantástica de recriação do imaginário humano passaram a ditar a estética da época.

Nascido em Frankfurt, em 1961, o compositor e pianista Martin Münch cursou Música e Filosofia em Mainz e, posteriormente, estudou composição com Wolfgang Rihm, na Escola Superior de Música de Karlsruhe. Realiza mais de trinta concertos anuais, com atuação na Filarmônica de St. Petersburg (Rússia), no Mozarteum de Salzburg (Áustria) e no Teatro Gasteig em Munique, além de Roma, Paris, Madri e Sofia (Bulgária), Brasil, Argentina, Japão e nos Estados Unidos.

Baseado na famosa peça de Goethe, Fausto, um velho alquimista, vê sua cidade ser assolada pela peste negra. Vendo tanta morte, começa a pensar sobre sua própria finitude. Ele então evoca Mefistofeles e lhe pede sua juventude de volta e eterna. O demônio a garante, em troca da alma de Fausto. Tudo parecia perfeito, até este se apaixonar por uma jovem italiana. Marco absoluto no cinema alemão, “Fausto” é o último filme de Murnau no país.

Fausto,(Alemanha, 1926, classificação livre ) Direção: F.W. Murnau

Participação do pianista alemão Martin Münch

Sexta-feira, 26 de fevereiro, 20h30, Cine Brasília (EQS 106/107). Entrada franca, por ordem de chegada.

Vamos abrir a bilheteria às 20h e entregar um ingresso/cortesia por ordem de chegada do público. limite de dois por pessoa