Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/02/13 às 18h11 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Cia. ‘Nós no Bambu’ se apresenta para alunos de escolas públicas

COMPARTILHAR

A grande fila que se formava na entrada da sala Plínio Marcos, na Funarte, não incomodava as dezenas de alunos que aguardavam para entrar no teatro. Eles são de várias escolas da rede pública de ensino e, por um dia, deixaram as salas de aula para assistir ao espetáculo Desdobrar, da Cia. Nós no Bambu.

Em Desdobrar, a linguagem corporal é utilizada em toda a plenitude para mostrar o dilema de quatro pessoas que interagem cada uma com três varas de bambu amarradas entre si. A escultura, que também é o cenário, ao mesmo tempo em que prende também liberta quem a manipula.

A proposta, de acordo com os acrobatas da Cia. Nós no Bambu, é mostrar que, da recriação dessa estrutura se desdobram formas e sentidos da vida. Acrobacia e dança, sensação e manipulação. Subir e descer, girar e cair, cair e levantar. Levantar e tornar a subir, em um eterno ciclo, sem cessar. Perder para ganhar, morrer para renascer. Seria a relação dos seres humanos com a vida? Seria o papel de cada um em seu tempo? É preciso se DESDOBRAR em muitos e muitas para ser inteiro. Se DESDOBRAR para ocupar espaço…

Karoline Marques, do Centro de Ensino Fundamental 11 de Taguatinga, deixou a sala encantada com o que viu. “Eu gostei muito. Senti uma sensação diferente. Vendo as acrobacias era como se eu também voasse, que eu estava livre.”

As apresentações são a contrapartida da Cia. Nós no Bambu ao aporte financeiro recebido do Fundo de Apoio à Cultura – FAC, da Secretaria de Cultura do DF. Além disso, o grupo trabalha com o objetivo de formar plateia e democratizar o acesso à cultura. Desde que iniciou o projeto institucional, há quatro anos, mais de 15 mil alunos, professores e funcionários de escolas públicas e entidades sociais já foram contemplados.

O espetáculo gratuito fica em cartaz até sexta ( 1º de março), na Sala Plínio Marcos, do Complexo Cultural Funarte, às 10h30, 14h30 e 15h30.

Leia também...