Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/10/15 às 19h05 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Ceilândia quer cultura para combater a violência

COMPARTILHAR

Crédiro Junior Aragão

Crédito Junior Aragão


O Centro Olímpico do Setor “O”, em Ceilândia foi palco na noite desta quinta (8/10) do último debate do programa ‘Voz Ativa’, promovido pelo Governo de Brasília. Mais de trezentas pessoas, entre moradores da cidade e representantes de entidades sociais, se reuniram para receber o governador Rodrigo Rollemberg e apresentar a ele as propostas para a segurança e a cultura, temas do debate. A secretária-adjunta da Secretaria de Cultura, Nanan Catalão, também participou do encontro.

O grupo de dança de rua CeilanSoul abriu o encontro com uma performance que chamou a atenção pelo estilo e também pela diversidade dos integrantes. Destaque para um jovem deficiente que, mesmo sem uma das pernas, deu show de dança no ginásio do Centro Olímpico.

Depois deles, o público ainda pôde ouvir a jovem cantora de apenas 15 anos, Safira Alves, filha do DJ Jamaica e moradora do Sol Nascente; e também acompanhar o trabalho de dois grafiteiros da cidade.

Após as apresentações culturais, o ‘Voz Ativa’ foi aberto para os moradores apresentarem suas reivindicações. A maioria deles pediu ao governador mais espaços de lazer, esporte e cultura para os jovens de Ceilândia. E tiveram uma resposta animadora de Rollemberg. O governador afirmou que estuda uma forma de viabilizar a abertura dos espaços fechados bem como a liberação de outros, como a caixa d´água, para apresentações artísticas e culturais. 

A secretária-adjunta de Cultura, Nanan Catalão, destacou que a Secretaria de Cultura tem trabalhado junto à Secretaria de Segurança na elaboração de projetos estratégicos, como ‘Cultura a Postos’, que prevê a ocupação por meio de projetos culturais dos postos policiais desativados, que incentivará ações de cultura urbana desenvolvidas pela comunidade, como saraus, apresentações de DJ’s, Mc’s, oficinas de dança e música, dentre outras, também com apoio específico a atividades voltadas à acessibilidade.

Também está em debate entre as duas Secretarias a criação do projeto ‘Conexão Positiva’, que prevê a uma campanha de comunicação em parceria com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, com fins de sensibilizar os agentes das forças de Segurança Pública quanto à necessidade de uma abordagem mais humanizada em relação aos agentes culturais, artistas, juventude periférica e grupos em vulnerabilidade social; e aproximar os agentes culturais dos agentes de Segurança Pública, promovendo, assim, a cultura de paz.

Por fim, o ‘Projeto Asas’, que tem como objetivo capacitar profissionalmente na área da Economia Criativa e Acessibilidade Cultural as internas da Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF) e os internos do Complexo Penitenciário da Papuda, visando à inclusão produtiva e reintegração social dos egressos e liberados do sistema prisional e sistema socioeducativo.

“Não há uma política de segurança que tenha êxito sem contemplar a cultura, não só no aspecto da prevenção, como também no processo de recuperação e ressocialização – não só no sistema prisional, mas também nas medidas socioeducativas”, concluiu Nanan Catalão.