Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/01/20 às 10h37 - Atualizado em 8/01/20 às 18h18

CCDF apresenta pautas prioritárias para 2020

COMPARTILHAR

Ouvir e dialogar. Essas foram as principais palavras do secretário de Cultura e Economia Criativa Bartolomeu Rodrigues aos representantes do Conselho de Cultura do Distrito Federal. Em reunião nesta terça-feira (07), eles apresentaram os principais pleitos do colegiado para o ano de 2020. Durante o encontro, o grupo também falou sobre as perspectivas para os trabalhos durante o ano.

 

 

Representantes da sociedade civil e do Governo do Distrito Federal participaram do encontro realizado na Biblioteca Nacional de Brasília. Os conselheiros falaram sobre o papel do CCDF e ressaltaram a importância do órgão como ponte entre a comunidade e o governo. Segundo o presidente do colegiado, o ator Wellington de Abreu, a pluralidade do grupo reflete os diversos anseios de todo o Distrito Federal acerca das políticas culturais. “Muitas pessoas contam com o CCDF para fazer valer a lei”, disse.

 

Entre as prioridades elencadas está o aprimoramento da Lei Orgânica da Cultura (LOC), principal instrumento norteador do setor no DF. O conselheiro Divino Gomes explicou que o texto é uma grande conquista da sociedade e fruto de uma ampla discussão com o setor cultural.

Nesse sentido, ele alertou para a necessidade da Secec cumprir o calendário de publicação dos editais do Fundo de Apoio à Cultura, bem como blindá-lo para que seja usado exclusivamente como instrumento de fomento à atividade cultural. “O orçamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa pode ser pequeno, mas a Cultura tem as maiores pernas, que são capazes de chegar onde nenhuma outra área consegue”, ponderou.

 

Entre as prioridades elencadas está o fortalecimento do CCDF com a consolidação da sua atuação junto à comunidade. De acordo com a conselheira Fernanda Morgani, é preciso regulamentar com urgência o processo de escolha dos conselheiros de cultura das Regiões Administrativas. “Isso é fundamental para que o CCDF funcione integrado com os conselhos regionais, ampliando nosso alcance”, pontuou.

Essa estruturação dos conselhos é essencial para garantir a participação do DF na Conferência Nacional de Cultura, que será realizada em 2021, conforme explicou Iara Alves. “Precisamos realizar o debate com todos os conselheiros do DF para levar nossos apontamentos ao evento, que é norteador da Política Nacional de Cultura”.

 

O secretário de Cultura e Economia Criativa Bartolomeu Rodrigues destacou a importância do CCDF para a construção das políticas públicas para a Cultura do DF, e afirmou que é necessário trabalhar em harmonia para garantir a excelência na realização das atividades. “Fico feliz em ter o CCDF ao meu lado para dividir as responsabilidades. Vamos construir juntos este caminho”, afirmou.

 

Bartolomeu também comentou alguns dos pontos da reunião. Para ele, é essencial pensar no bem comum, seguir a Lei e auxiliar na construção de uma cultura que não dependa exclusivamente do Estado. “Vou estar ao lado de vocês para pensar e, nos momentos necessários, distensionar. Enxergo em cada conselheiro a sociedade, que está muito bem representada”, concluiu.