Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/04/12 às 12h26 - Atualizado em 13/11/18 às 14h37

Catetinho será reaberto ao público nesta sexta(20/04)

COMPARTILHAR

foto catetinho 2


O helicóptero pousa na Fazenda Gama (ou Fazenda Velha). Da aeronave desembarca a maior autoridade pública do Distrito Federal, o governador Agnelo Queiroz. Na casa, sede da fazenda, esperam por ele com o café pronto, dona Zenaide Santos, “seu” Miguilim, “seu” José Donaldo e “seu” Josué Ferreira.

Após o cafezinho e uma animada conversa, todos seguem a pé por um caminho de 300 metros até o Catetinho.

A cena está prevista para o dia 20 de abril de 2012 e reconstitui uma das principais rotinas do Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira em 1956: a visita diária às obras do Catetinho, também chamado pelos operários de “Palácio de Tábuas”, primeira residência oficial durante a construção de Brasília.

Dos personagens, apenas o governador Agnelo Queiroz não viveu aqueles dias de agitação que movimentaram o centro-oeste brasileiro.

Dona Zenaide Santos, “seu” Miguilim, “seu” José Donaldo e “seu” Josué Ferreira não só viveram como participaram ativamente da construção do Catetinho. Hoje, testemunhas vivas da história, os pioneiros serão homenageados pelo Governo do Distrito Federal.

A cerimônia faz parte das comemorações do aniversário de 52 anos de Brasília e da reinauguração do Catetinho.

Após quatro meses de restauração, o Palácio será reaberto ao público com novidades.

Programação

15h30

Concentração na Fazenda Gama. Visita à exposição da Casa da Fazenda Gama

16h00

Início da caminhada com Governador e pioneiros até o Museu do Catetinho. Deslocamento dos convidados até o local do evento (trenzinho para autoridades e convidados com dificuldade de locomoção)

16h30

Descerramento da placa de inauguração.

16h45

Visita ao Catetinho. Visita à Exposição do Museu do Catetinho

17h15

Início da solenidade de Abertura do Museu do Catetinho. Subsecretário do Patrimônio: Jose Delvinei

17h30

Hino Nacional entoado por Célia Rabelo e acompanhado por piano.

17h40

Fala do Secretário de Cultura: Hamilton Pereira

18h00

Entrega de medalhas e certificados. Homenagem aos pioneiros “Post Mortem”, Homenagem aos pioneiros envolvidos na construção do Catetinho.

18h40

Fala do Governador: Agnelo Queiroz

19h00

Início da Seresta – Apresentação Jarbas Silva Marques Show com Maria Lúcia de Godoy, Seresteiros, Início do coquetel

22h00 

Encerramento

 

História

O Catetinho foi construído em dez dias, de 22 a 31 de outubro de 1956, e inaugurado em 10 de novembro do mesmo ano, quando o Presidente JK expediu os primeiros atos destinados à construção de Brasília. O nome Catetinho é uma homenagem ao Palácio do Catete, residência oficial dos presidentes da República no Rio de Janeiro.

Em solenidade realizada no dia 10 de novembro de 1959, a pedido do Presidente Juscelino Kubitschek, o Catetinho foi tombado pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – SPHAN e também em nível distrital pelo GDF através de tombamento ex-offício.

Desde a inauguração, o catetinho passou por duas obras de restauração: em 1991, na comemoração de trinta e cincos anos; e em 1996.

Do trabalho de restauro

Nesta última restauração, realizada entre dezembro de 2011 e abril de 2012, foi dada prioridade à manutenção física das edificações e instalações prediais e restauro dos elementos originais.

A primeira medida foi acabar com os cupins com um tratamento preventivo e curativo das edificações e de todo o sítio histórico do Catetinho, com produtos ativos contra cupins subterrâneos e cupins de madeira seca. Todas as peças existentes e novas passaram por um processo de imunização. No entorno das edificações elaborou-se um sistema de drenagem para a condução de águas pluviais para proteção das estruturas em madeira. Foram reestudados os acessos, jardins e calçadas com a construção de rampas e um circuito no térreo do palácio e anexo. 

As esquadrias e estruturas de madeira foram restauradas e pintadas com pintura especial apropriada contra a ação do tempo, fungos e cupins. 

Todo o madeiramento dos prédios foi analisado previamente por técnicos do Departamento de Engenharia Florestal, através de parceria com a Universidade de Brasília. Foram identificadas as espécies de madeira existentes e emitidos laudos com os teores de umidade e identificação das novas peças instaladas em substituição àquelas já deterioradas.

Tanto no Palácio como no anexo, toda a cobertura foi removida, e recolocada com sobreforro e manta de alumínio. Toda fiação elétrica foi substituída por fio à prova de fogo com conduítes e caixas de passagem.

Foram restauradas as luminárias, interruptores e tomadas de época e revisadas as instalações hidráulicas de todo o complexo. Todo o processo teve o acompanhamento técnico da Superintendência do IPHAN no Distrito Federal através da análise dos projetos e vistorias no local da obra. O acervo do Catetinho passou por higienização e restauro realizado pelos técnicos da Secretaria de Cultura.