Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/06/14 às 21h49 - Atualizado em 13/11/18 às 14h49

Casa do Cantador recebe Sexta do Repente

COMPARTILHAR

Músicos Brasilienses e convidados animam Ceilândia


A Sexta do Repente, evento referência da Casa do Cantador, chegou a sua trigésima edição nesta sexta–feira (27), reunindo repentistas de Brasília e de outros estados em uma celebração da cultura nordestina.

As apresentações foram abertas por duas duplas de Brasília, Donzílio Luiz cantando com Valdenor de Almeida e Jonas Andrade com João Santana. Por último subiram ao palco os músicos convidados Moacir Laurentino da Paraíba com Geraldo Amâncio do Ceará.

O espírito do improviso dominou a noite que foi iniciada com canções sobre a Copa do Mundo e a repercussão dos jogos realizados no Brasil. João Santana, 35, repentista de Brasília que iniciou a carreira na Casa do Cantador, falou sobre a experiência de tocar no local. “Comecei fazendo uma participação em uma apresentação da Casa. Ouço Repente desde criança e por volta dos 20 anos descobri que tinha facilidade para música. Gosto muito de tocar pra o público local e de levar nossa arte para os estrangeiros também. O Repente celebra toda a cultura brasileira e é bem acessível por ser uma arte de improvisação.”

Ceilândia, onde fica a Casa, é uma região administrativa com uma grande população nordestina e o músico convidado Moacir Laurentino, 69, da Paraíba, chamou atenção para importância de trazer a cultura de volta para eles. “Brasília é um lugar com muitos nordestinos que estão sentindo falta de casa, e nós também sentimos saudades deles”, disse o poeta.

A depiladora Francesca Nunes, 29 anos, adora vir a Casa do Cantador para matar saudade de casa. “Aqui é um pedacinho do nordeste.”, afirma saudosa. “Na Paraíba, onde eu morava, toda semana eu ouvia o repente e agora aproveito essas noites para matar saudade.”

Novas Noites de Música

O Diretor da Casa do Cantador, Francisco de Assis, 41, aposta que a identificação é um dos principais fatores para o sucesso do local. “As pessoas se identificam muito com nosso projeto, tanto que ele está chegando a 30 edições. Começamos em 2011 e agora temos um público fiel na última sexta de cada mês . A Sexta do Repente fez tanto sucesso que agora vamos expandir nossas atividades e realizar um Sabadão do Forró”, finaliza.