Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/04/19 às 12h26 - Atualizado em 22/04/19 às 17h39

Brasília celebra 59 anos em grande estilo

COMPARTILHAR

O 59º aniversário de Brasília foi uma grande mistura de demonstrações culturais na Esplanada dos Ministérios nos dias 20 e 21 de abril. Nem mesmo o temporal que atingiu a área central da cidade no domingo impediu milhares de pessoas de se divertirem. Música,dança, artes plásticas, gastronomia e entretenimento mostraram que a capital tem vocação para acolher pessoas de diferentes origens e gostos.

 

No domingo (21/4), a festa começou de manhã, com brincadeiras para as crianças e apresentações circenses no Mosaico de Culturas Populares e shows no Palco Brasília, ambos espaços promovidos pela Secretaria de Cultura. Um dos pontos altos foi a apresentação do balé junino, que coloriu o espaço e colocou o público para dançar quadrilha.

 

Na Praça dos Três Poderes, houve a cerimônia de troca da bandeira e, em seguida, apresentação da Esquadrilha da Fumaça. A linha de chegada da Maratona Monumental Brasília 59 anos foi posicionada na Esplanada dos Ministérios, que acolheu famílias de todas as partes do DF, que aproveitaram para fazer o almoço de Páscoa no Palco Gourmet, montado entre o Museu Nacional da República e Biblioteca Nacional de Brasília. A área tinha diversos food trucks de cozinhas variadas e apresentações que deixaram o espaço ainda mais agradável.

 

A forte chuva que caiu no meio da tarde interrompeu as atividades durante aproximadamente uma hora. Os palcos tiveram apresentações suspensas para garantir a segurança dos músicos e do público. A sambista Dhi Ribeiro, a primeira a se apresentar no Palco Brasília depois da interrupção, comemorou a continuidade da festa. “A chuva passou e foi um prazer tocar para um público maravilhoso. Quero agradecer pela oportunidade de tocar nesse evento lindo”, disse.

 

O público estava disposto a curtir a programação. De capa de chuva, o autônomo Izaías Caieras Rodrigues esbanjava animação. Nem mesmo o temporal o impediu de curtir a festa. “Nós saímos de Ceilândia e não estava chovendo. Fiquei sabendo na metade do caminho que estava tudo molhado, mas não paramos”, afirmou.

 

A tarde foi embalada no Palco Ipê pelas duplas Henrique e Ruan e Pedro Paulo e Matheus, que apresentaram clássicos da música sertaneja.

 

Em entrevista à Secretaria de Cultura, a cantora Anitta se disse entusiasmada em poder se apresentar para o público de Brasília. A atração principal do Palco Ipê demonstrou gratidão ao carinho dos fãs, que mantiveram a empolgação, mesmo depois da chuva. “O bom é que deu tudo certo no fim das contas e a galera se manteve firme para o show. Sempre que venho para cá tenho essa recepção incrível, então isso só reforça a ideia de que o brasiliense é acolhedor e alto astral”, afirmou.

 

Artes plásticas

O grafite teve destaque. Artistas tiveram a oportunidade de pintar paisagens da cidade e elementos culturais marcantes de Brasília. O painel de Getúlio Marcos, conhecido como PMH, retratou um ipê rosa e a Torre de TV, dois dos principais símbolos do Distrito Federal. O artista, que também exerce a profissão de vigilante, ficou feliz com a oportunidade de expor o trabalho. “Faço grafite há 25 anos e enfrentei muito preconceito. Agora já conseguimos mostrar que existe a diferença entre arte e vandalismo”, contou.

 

A tatuadora e grafiteira Iasmin Kali escolheu um desenho cheio de cores para homenagear duas aves muito comuns no planalto central, o anu-branco e o anu-preto. “Como a cidade tem muitas áreas descampadas, é normal ver esses pássaros. Acho que devemos chamar a atenção para a preservação dessas espécies”.

 

 

 

 

 

Leia também...