Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/18 às 23h34 - Atualizado em 13/11/18 às 15h31

Brasília cai na folia com respeito e cidadania

COMPARTILHAR

Ao som de marchinhas, samba, frevo, maracatu, axé, rock, batucada e ciranda, 30 blocos carnavalescos desfilaram pelo Distrito Federal neste sábado (10). A Secretaria de Cultura garantiu a estrutura adequada e incentivou participação de artistas locais na folia.

 

Mais de 40 mil foliões encheram as ruas de cor e alegria, exibindo fantasias divertidas e muita ginga no pé, provando que a capital do país é sim destino bem animado para o Carnaval.

 

Uma programação variada e sem contraindicações para todas as idades. A turma do Carnapati fez a festa da criançada no Parque da Cidade, com música, teatro e brincadeiras de circo.

 

O Galinho de Brasília, um dos blocos mais antigos, fez 20 mil pessoas caírem no frevo, ao som da Orquestra Popular Marafreboi, uma das atrações selecionadas via chamamento público pela Secretaria de Cultura. Foliãs como as adolescentes Beatriz Correia, Clara Malta e Gabriela Sayão, de 15 anos, que curtiram o carnaval de rua sozinhas pela primeira vez. “O bloco estava bem animado. A gente se divertiu bastante e com muita segurança.”, contou Beatriz.

 

Cidadania e respeito

 

Liberdade, tolerância e respeito à diversidade foram as marcas registradas dos blocos Essa Boquinha eu Já Beijei e Tuthankasmona que reuniram 15 mil pessoas entre na região da Funarte e Torre de TV. Para o servidor público Luiz Pinheiro, blocos com presença do público LGBT são representativos e essenciais. “Aqui a gente tem a liberdade de se divertir como a gente realmente é”, explicou.

 

Para reforçar que folia divertida só com respeito, a Secretaria de Cultura lançou nas redes sociais a campanha: “Depois do NÃO tudo é assédio”. E as mulheres estão se sentindo mais à vontade para brincar o Carnaval. “Tá muito bom, divertido e animado”, elogiou Cleonice da Silva. “A festa está ótima. Não sofri nenhum tipo de agressão”, completou Rebeca Gadelha.

 

Os blocos Concentra Mas não Sai, na Asa Norte, Santo Pecado, na Orla do Lago Sul, e Vilões da Vila, na Vila Planalto colocaram, juntos, cerca de 4 mil pessoas para dançar axé, samba e até rock a tarde inteira.

 

O bloco sustentável Patubatê agitou o carnaval no Setor Comercial Sul e emocionou o público com uma homenagem aos trabalhadores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). A performance contou com a participação de 20 garis. Na folia ecologicamente correta, educadores ambientais entregaram sacos verdes aos foliões e ambulantes para descarte correto dos resíduos gerados no evento.

 

Investimento

 

Como forma de valorizar a riqueza da cultura artística que pulsa nas regiões administrativas do Distrito Federal, a Secretaria de Cultura tem investido na descentralização do Carnaval.

 

O aporte total este ano em estrutura e cachês artísticos para os festejos soma R$ 5 milhões em recursos públicos e mais R$ 1,4 milhão em patrocínio direto da cervejaria Ambev.

 

Além de equipamentos de som e iluminação, palco, trio elétrico, banheiros químicos, UTI Móvel, brigadista e outros insumos essenciais da estrutura dos eventos, a Secretaria de Cultura contratou 40 artistas da cidade para animar os blocos.

 

Oito atrações selecionadas via chamamento público se apresentaram este sábado: as Batuqueiras, no CarnaRecanto (Recanto das Emas); Banda Conexão Salvador e Martinha do Coco nos blocos Mamãe Taguá e Asé Dudu (Taguatinga); banda Batida de Jota, no bloco Concentra mas não Sai (Asa Norte); banda Essa Boquinha eu Já Beijei (Funarte); banda Patubatê (Setor Comercial Sul); banda Carnapati (Parque da Cidade); e Orquestra Popular Marafreboi, no Galinho de Brasília (Asa Sul).