Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/12/20 às 13h53 - Atualizado em 19/12/20 às 13h54

“Brasília 60+60” percorre a trajetória da capital sexagenária

COMPARTILHAR

Texto: Loane Bernardo/Edição: Guilherme Lobão (Ascom Secec)

 

19/12/2020
13:54:00

 

Desde a premonição de Dom Bosco feita no século XIX, até a cidade tornar-se realidade pelas mãos de Juscelino Kubitschek, “Brasília 60+60” promete revelar ao público diversas curiosidades sobre a capital. Composta pelos capítulos “Os Sonhadores”, “O Plano”, “Cidade Livre”, “Políticolândia”, “Chão de Estrelas” e “Escolha o futuro”, a animação brasiliense se aprofunda em uma saga pra lá de histórica.

 

Acesse:

Programação detalhada  

Linha do tempo do FBCB

Últimas Notícias FBCB

Como assistir ao 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Programação paralela

 

A obra dirigida por Raquel Piantino é a única do gênero na competição de curtas da Mostra Brasília do 53ª edição do Festival de Brasília do Cinama Brasileiro, em streaming até este domingo (20) na Plataforma Canais Globo.

 

O filme conta a história de Brasília desde a idealização, passando por planejamento, construção, migrações, até o ano de 2020. A trama é narrada por uma jovem, neta de candangos, que nasceu e cresceu na capital. A protagonista conta a história a partir de sua vivência e das histórias que ouviu de sua mãe e avó.

 

Graduada em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, Raquel Piantino é diretora, animadora e arte-educadora. Ela realiza produções audiovisuais autorais que já foram exibidas em diversos festivais no mundo. Apesar de contar muito sobre o passado, a diretora destaca a reflexão deixada pelo curta em seu último capítulo: “Cada geração possui uma ligação própria com Brasília, mas que tipo de ligações serão construídas nos próximos 60 anos?”.

 

Sobre o Festival de Brasília, Piantino aponta o momento atual fator decisivo, em que o virtual chegou para ficar na vida das pessoas, ocupando áreas como trabalho, estudo, comércio, e também cada vez mais, vem sendo um portal da cultura. “Acho que veicular a programação do festival na televisão e internet acrescenta muito ao evento, pois expande o público de espectadores para todo o Brasil”, reconhece.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)
E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br

Leia também...