Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/06/13 às 19h23 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

BIFF começa com a presença da atriz Hélène Vincent

COMPARTILHAR

Começou na noite de ontem (13/06), na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional, a segunda edição do Festival Internacional de Cinema de Brasília (BIFF). Na abertura, foi exibida a produção francesa “Uma primavera com minha mãe”, protagonizada por Hélène Vincent, que também é homenageada do Festival.
Antes do início da sessão exclusiva para convidados, Hélène Vincent falou da satisfação de estar em Brasília. “Estou muito feliz de estar aqui apresentando um filme feito com muita paixão e com muita paciência. Acho que a história tocará a todos.”
Para o diretor geral do Biff, Nilson Rodrigues, o festival é um projeto ousado, mas que não vai medir esforços para que o Festival seja um dos principais da América Latina.
O secretário de cultura do DF, Hamilton Pereira, também participou da abertura do BIFF. Ele falou da importância do festival como projeto de governo. “A cultura no Brasil perdeu a centralidade e é preciso de cultura para que haja o desenvolvimento do país”
O Festival
Além da mostra competitiva, para a qual foram selecionados 13 filmes que irão concorrer a prêmios no valor total de R$ 100 mil, o festival apresentará seis mostras paralelas, pré-lançamentos do cinema mundial e seminários sobre o mercado cinematográfico.

Mostra

Para a mostra competitiva, estão selecionados filmes dos Estados Unidos, Argentina, Paraguai, Chile, Itália, Senegal, Turquia, China, Nova Zelândia, Taiwan e Espanha, todos inéditos no Brasil.

Pré-estreias

Na sessão “grandes pré-estreias” serão exibidos em primeira mão no Brasil os mais recentes filmes de Bernardo Bertolucci ( Eu e Você) , Marco Bellochio ( A Bela que dorme ) e Richard Linklader ( Antes da Meia-noite ).

Seminários

A grade de seminários contempla diálogos entre continentes “Brasil e África: as possibilidades de intercâmbio e coprodução” , debates sobre o papel do estado: “As perspectivas do cinema e do audiovisual na América do Sul: o papel do estado e a participação da sociedade, os desafios impostos pelas novas tecnologias: “O mecanismo de financiamento para a digitalização do parque exibidor”, “A participação dos exibidores e dos distribuidores no processo de digitalização do parque exibidor”, “Os desafios do mercado digital” e a produção do futuro “Os desafios dos novos realizadores no atual panorama da América do Sul”.

O festival acontece de 13 a 23 de junho no Museu Nacional da República e no Cine Cultura Liberty Mall.
Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia).

MOSTRAS PARALELAS

O BIFF quer ser mais do que uma vitrine do que se faz de mais recente no cinema mundial. O Festival deseja promover a reflexão e para isso concebeu também um amplo programa de mostras paralelas. A começar pela mostra KRISIS, que vai exibir documentários da Espanha, Estados Unidos, Argentina e França. Dos EUA vem Fatal Assistance, do premiado diretor haitiano Raoul Peck, que faz um retrato devastador das tentativas do Haiti se reerguer após o terremoto de 2010. Já Calles de la memória, da argentina Carmen Guarini, discute a transmissão da memória a partir dos atos de terrorismo praticados pela ditadura militar do país.
A mostra AMÉRICA DEL SUR oferecerá a oportunidade (rara) de o espectador tomar contato com o que se tem produzido de mais recente no cinema do continente. Trará títulos como Crónica del fin del mundo, do colombiano Maurício Cuervo Rincón, sobre a fragilidade do mundo que cada pessoa constrói em torno de si. Reverón, do venezuelano, Diego Risquez, que mostra em linguagem de ficção o romance entre o grande artista plástico venezuelano Armando Reverón e sua Juanita. Lo más bonito y mis mejores años, um road movie boliviano, assinado por Martin Boulocq, e Prometeo Deportado, de Fernando Mieles, que narra o drama de um grupo de equatorianos detidos numa sala de um aeroporto europeu à espera de serem deportados, dentre outros títulos.
Pela mostra INDEPENDENTES AMERICANOS passarão dramas e comédias como; Gimme the loot, de Adam Leon; Now, forager, de Jason Cortlund e Julia Halperin; Detroit Unleaded, refilmagem de Rola Nashef de um curta de 2007; e It felt like love, de Eliza Hittman.
Para a mostra PANORAMA ÁFRICA estão confirmados Yema, de Djamila Sahraoui, um retrato pungente da Guerra Civil na Argélia; La Pirogue, de Moussa Touré, sobre a tentativa de senegaleses de emigrar para as Ilhas Canárias; Virgem Margarida, premiado filmedo moçambicano Licínio Azevedo sobre a reeducação de prostitutas em Moçambique; One man’s show, do nigeriano Newton Aduaka, sobre um ator de meia idade e seus relacionamentos familiares; e How to steel 2 million, filme de ação dirigido por Charlie Vundla, da África do Sul.
Na mostra MUNDO ANIMADO, serão exibidos Komaneko – O gatinho curioso, produção japonesa de Tsuneo Goda sobre um gato que adora fazer bonecos para usar em seus filmes de animação; O Segredo de Eleonor, animação de Dominique Monféry, que conta a história do menino Nathaniel, criador de um plano para salvar os personagens dos contos de fadas; e Zarafa, produção de Rémi Bezançon e Jean-Christophe Lie em que o menino Maki e a girafa órfã Zarafa vivem uma grande aventura, viajando das areias do Sudão até as luzes de Paris.

MOSTRA COMPETITIVA

DON JON – USA, 2013, 95 minutos – Dir. Joseph Gordon-Levitt
TESE SOBRE UM HOMICÍDIO – ARGENTINA, 2013, 105 minutos – Dir. Hernán Goldfrid
7 CAIXAS PARAGUAIAS – PARAGUAY, 2012, 100 minutos -Dir: Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori
O FUTURO – ITALIA/CHILE/ALEMANHA/ESPANHA, 2012, 98 minutos – Dir: Alicia Scherson
ALTO COMO UMA ÁRVORE DE BAOBÁ – SENEGAL/USA, 2012, 82minutos – Dir: Jeremy Teicher
O CHEFE – RÚSSIA, 2013, 80 minutos -Dir: YuriBykov
O MIRANTE – TURQUIA, 2012, 100 minutos – Dir: Pelin Esmer
VOANDO COMO UMA GARÇA – CHINA, 2012, 99 min – Dir: Li Ruijun
A CASA VERMELHA – NEW ZEALAND, 2012, 85 min – Dir: Alyx Duncan
UM TOQUE DE LUZ – TAIWAN, 2012, 110 min – Dir: Chang Jung-chi
BLANCANIEVES – ESPANHA, 2012, 104 min – Dir. Pablo Berger
WORKERS – MÉXICO/ALEMANHA, 2013, 120 min -Dir: José Luis Valle
COMER, DORMIR E MORRER – SUÉCIA, 2012, 100 min – Dir: Gabriela Pichler

MOSTRA AMÉRICA DEL SUR

CRÔNICAS DO FIM DO MUNDO – COLÔMBIA, 2012, 85 min – Dir: Maurício Cuervo Rincón
REVERÓN – VENEZUELA, 2011, 110 min – Dir: Diego Risquez
A CULPA É DO CORDEIRO – URUGUAI, 2013, 100 min – Dir: Ana Guevara e Letícia Jorge
PAISAGENS DEVORADAS – ARGENTINA Dir: Eliseo Subiela
O MAIS BONITO DOS MEUS MELHORES ANOS – BOLÍVIA, 2005, 93 min – Dir: Martin Boulocq
PROMETEO DEPORTADO – EQUADOR, 2010, 110 min – Dir: Fernando Mieles
MIGUEL DE SAN MIGUEL – CHILE, 2012, 80 min – Dir: Matías Cruz

MOSTRA GRANDES PRÉ-ESTREIAS

A BELA QUE DORME – ITÁLIA/FRANÇA, 2012, 115 min – Dir. Marco Bellocchio
EU E VOCÊ – ITÁLIA, 2012, 104 min – Dir. Bernardo Bertolucci
UMA PRIMAVERA COM MINHA MÃE – FRANÇA, 2012, 93 min – Dir. Stéphane Brize
ANTES DA MEIA-NOITE — EUA, 2013, 108 min – Dir: Richard Linklater

MOSTRA INDEPENDENTES AMERICANOS

PARA ELLEN – EUA, 2012, 94 min – Dir: So Yong Kim
UM DESAFIO DE 500 DÓLARES – EUA, 2012, 79 min – Dir: Adam Leon
SOBRE AMOR E COGUMELOS – EUA/Polônia, 2012, 93 min – Dir: Jason Cortlund e Julia Halperin
DETROIT SEM CHUMBO – CANADÁ, 2012, 93 min – Dir: Rola Nashef
CASTELO NO BROOKLIN – EUA, 2012, 102 min – Dir: Katie Dellamaggiore
COMO SE FOSSE AMOR – EUA, 2013, 82 min -Dir: Eliza Hittman

MOSTRA KRISIS

MERCADO DE FUTUROS – ESPANHA, 2011, 110 min -Dir: Mercedes Álvarez
SUSHI E A GLOBALIZAÇÃO – EUA, 2011, 84 min – Dir: Mark Hall
ASSISTÊNCIA FATAL – FRANÇA/HAITI/EUA/BÉLGICA, 2013, 100 min -Dir: Raoul Peck
RUAS DA MEMÓRIA – ARGENTINA, 2013, 65 min – Dir: Carmen Guarini
VÔO ESPECIAL – FRANÇA, 2011, 103 min -Dir: Fernand Melgar
OCUPA WALL STREET, AÇÃO COLABORATIVA – EUA

MOSTRA PANORAMA ÁFRICA

YEMA – ARGÉLIA, 2012, 93 min – Dir: Djamila Sahraoui
A JANGADA – SENEGAL/FRANÇA, 2012, 87 min – Dir: Moussa Touré
VIRGEM MARGARIDA – MOÇAMBIQUE, 2012, 87 min – Dir: Licínio Azevedo
SHOW MAN – NIGÉRIA/FRANÇA, 2010, 81 min – Dir: Newton I. Aduaka
COMO ROUBAR DOIS MILHÕES – ÁFRICA DO SUL, 2011, 88 min – Dir: Charlie Vundla

MOSTRA MUNDO ANIMADO

KOMANEKO – O GATINHO CURIOSO – JAPÃO, 2009, 60 min – Dir: Tsuneo Goda
O SEGREDO DE ELEONOR – FRANÇA, 2009, 75 min – Dir: Dominique Monféry
ZARAFA – FRANÇA, 2012, 78 min – Dir: Rémi Bezançon e Jean-Christophe Lie

O BIFF – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE BRASÍLIA/ BRASILIA INTERNATIONAL FILM FESTIVAL tem o patrocínio, entre outros, do GDF, Secretaria de Cultura do Distrito Federal e Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

CONTATOS:

ASSESSORIA DE IMPRENSA (PARA USO EXCLUSIVO DOS JORNALISTAS):
Objeto Sim Projetos Culturais
Tels: (61) 3443. 8891 e (61) 3242. 9805
Carmem Moretzsohn: 8142. 0111 – Gioconda Caputo: 8142. 0112
Maria Alice Monteiro: 9831. 5090 – Roberta Timponi: 9211. 1414
objetosim@terra.com.br e objetosim@gmail.com
www.objetosim.com.br