Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/20 às 16h48 - Atualizado em 19/08/20 às 10h26

Artistas de Sol Nascente/Pôr do Sol respiram cultura em ano de Região Administrativa

COMPARTILHAR

 Texto: Loane Bernardo. Edição: Sérgio Maggio

 

Com apenas um ano de criação como Região Administrativa (RA), Sol Nascente/Pôr do Sol respira cultura. Marcada pela diversidade, a arte feita pelos moradores alegra e dá qualidade de vida ao território criativo, com uma pulsante arte urbana misturada à tradição regional enraizada, herdada da antiga “cidade-mãe” Ceilândia, onde várias famílias vieram do Nordeste em busca de oportunidades.

 

Pela novíssima RA, encontram-se grandes mestres de capoeira, repentistas, grafiteiros, rappers, músicos, e outros artistas que representam a cultura local. “É muito importante para a Secretaria de Cultura e Economia Criativa que esses artistas estejam dentro das políticas públicas de cultura do DF, seja como beneficiários, seja como protagonistas dentro dos conselhos deliberativos”, aponta o secretário, Bartolomeu Rodrigues.

 

MULHERES EMPODERADAS

 

Debora Glamurosa/instagram

Débora Glamurosa que ser a voz do Sol Nascente no DF

Conhecida como Débora Glamurosa, Débora Alencar é cantora de funk e rap. Presidente do Coletivo Cultural e Social Sol Nascente e integrante da Rede Unificada de Cultura Periférica, ela começou sua carreira em Ceilândia há 10 anos.

 

Há quatro no comando do coletivo, a funkeira, que já se apresentou em todas as RAs do DF, hoje trabalha o empoderamento feminino e o combate à violência contra a mulher em suas letras e palestras dentro do coletivo.

 

Integrante do grupo de Rap “Minas de Stylu”, Débora declara que a luta dos artistas da cidade começou na construção dos coletivos formados pela comunidade. Para ela, a independência da RA traduziu-se em formato de voz para os agentes culturais.

 

“É de suma importância ter Sol Nascente como um RA independente, justamente para fortalecer as causas da comunidade cultural. Estou inscrita para o Conselho Regional de Cultura, no sentido de conseguir que os nossos projetos tenham visão”, relata.

 

Com eleições abertas até o dia 17.08, as RAS podem eleger seus Conselhos Regionais de Cultura (CRC), com nove cadeiras de efetivos e nove de suplentes, fortalecendo o Sistema de Arte e Cultura (SAC) do DF

 

 

Leia mais sobre as eleições do CRC

 

 

 

REGGAE DE RAIZ

 

Figura influente no ritmo jamaicano, com referências sobre o cerrado, o cantor Laércio Rubato destaca a grandeza do momento de transição pelo qual Sol Nascente está passando, e sente-se otimista sobre o fortalecimento da “prata da casa”, a cultura local. Produtor cultural e líder da banda de reggae Geração Roots, o músico celebra o aniversário de independência de sua Região Administrativa.

Laercio Rubato/Instagram

Laércio Rubato e o reggae forte

 

“Agora que o Sol Nascente/Pôr do Sol se tornou uma RA, os movimentos culturais estão se capacitando, para que possamos participar de igual para igual dos editais voltados para os segmentos culturais. Estamos focados na força-tarefa de elegermos o nosso Conselho de Cultura,  que será um grande presente de aniversário para a nossa cidade”, enfatizou.

 

DIA DE COMEMORAÇÃO

 

O dia 14 de agosto de 2019 ficará na história para a população de Sol Nascente/Pôr do Sol. Há exatamente 1 ano, um dos setores habitacionais mais populosos da América Latina tornou-se oficialmente uma Região Administrativa do Distrito Federal. O local, que antes era considerado parte de Ceilândia, respira cultura. Sol Nascente brilha com vozes e manifestações artísticas que buscam igualdade social e condições dignas de vida para a população que ali habita.

 

Ainda engatinhando no título de 32ª RA, a cidade, conhecida pelo céu amplo e azul, celebra a conquista. A iniciativa, fruto do Projeto de Lei n° 350/2019 e sancionada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, teve como objetivo garantir uma atenção exclusiva para a região. Com quase 90 mil habitantes, Sol Nascente/Pôr do Sol ganhou uma Administração para acolher as demandas locais, incluindo saúde, educação, segurança, saneamento básico, regularização das moradias, movimentação econômica, cultura e lazer.

 

 

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

e-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br

Leia também...