Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/04/14 às 17h09 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Alunos da rede pública terão passaporte para viajar no mundo dos livros

COMPARTILHAR

Com o benefício, regionais de ensino poderão adquirir livros durante a II Bienal do Livro e Leitura

BRASÍLIA (11/4/14) – Os alunos da rede pública do Distrito Federal contarão com um passaporte para viajar no mundo literário durante a II Bienal do Livro e da Leitura. Com o benefício, lançado nesta sexta-feira (11) no Palácio do Buriti, todas as regionais de ensino poderão adquirir obras para aumentar ainda mais o acervo de cada instituição. A iniciativa contou com investimento de R$ 4 milhões.

“A participação da criança na escolha do livro que fará parte da biblioteca de sua escola não tem preço, e o Passaporte Literário dará essa oportunidade. Nosso objetivo é estimular ainda mais esse contato e nada melhor do que começar as comemorações de aniversário da cidade com um evento como a Bienal. A primeira edição superou nossas expectativas, e essa segunda irá surpreender ainda mais”, afirmou o governador Agnelo Queiroz.

Um servidor escolhido pela escola receberá o passaporte e ficará responsável pelas aquisições literárias, recebimento e ateste no verso das notas fiscais. Alunos e professores da mesma instituição acompanharão a visita na Bienal e selecionarão os títulos que farão parte do acervo. O valor será creditado na conta corrente da Unidade Executora da Coordenação Regional de Ensino e terá como base de cálculo o número de alunos matriculados.

De acordo com o secretário Educação, Marcelo Aguiar, o investimento realizado nesta ação equivale a aquisição de aproximadamente 200 mil novos livros. “Estamos preparando toda a infraestrutura necessária para que os alunos e professores possam fazer o melhor proveito do evento. A lógica do passaporte é a mesma de um passaporte normal. Será carimbado na entrada, incluída nota fiscal e carimbado na saída”, informou.

De maneira simbólica, o primeiro passaporte foi entregue ao diretor do Centro de Ensino Médio 3 da Ceilândia, Divaldo de Oliveira, que representou todas as outras regionais. “O acesso das crianças à leitura é muito importante, e o governo, por meio dessa iniciativa, mostra que se preocupa com essa realidade. É lindo ver uma criança folheando um livro. Espero que nunca percamos esse viés”, declarou o diretor.

O Passaporte Literário será válido somente no período e espaço físico reservado à II Bienal do Livro, que acontece de 11 a 21 de abril, em estrutura montada entre o Museu Nacional da República e Rodoviária do Plano Piloto. As escolas deverão utilizar o percentual máximo de 10% do valor recebido em cada estande. O saldo que não for utilizado será devolvido aos cofres públicos.

“Costumo repetir uma frase de um teólogo que 'educação e cultura são anjos de uma asa só'. Quando você faz uma coisa bem feita, você marca. Na segunda vez, você consolida, e na terceira, vira tradição. Então este ano vamos consolidar a Bienal. Vamos fazer com que todos saibam que Brasília traz a vocação para as atividades culturais”, analisou o secretário de Cultura, Hamilton Pereira.

BIENAL – A II Bienal do Livro de Brasília promoverá seminários, debates, palestras, lançamentos e mostra de cinema. A abertura, que acontece hoje, será apenas para convidados, com palestra do uruguaio Eduardo Galeano, mas os interessados poderão assistir à apresentação em telão instalado do lado externo da estrutura. A visitação ao público começa no sábado (12).

(K.I./M.D.*)