Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/02/14 às 20h21 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Almoço no Hospital de Ceilândia abre Circuito de Ocupação Cultural

COMPARTILHAR


Músico Diego Galeno se apresentou no refeitório do hospital

Um almoço musical mudou a rotina dos servidores plantonistas do Hospital Regional da Ceilândia no início da tarde desta segunda-feira (3). O pocket show de guitarra do músico Diego Galeno reuniu cerca de 200 pessoas no refeitório do hospital. A atividade deu início à programação deste mês do Circuito de Ocupação Cultural para a Saúde, projeto realizado pela Fiocruz Brasília e pelo GDF, por meio da Secretaria de Cultura do DF.

Com 10 anos de estrada, o compositor, arranjador e bacharel em Música pela Universidade de Brasília (UnB) trabalha especialmente com a música instrumental. O brasiliense une estilos diferentes como a forte tradição da música brasileira, sua formação erudita e escolas como rock progressivo e a música regional.

O projeto que une a Fiocruz Brasília e o GDF pretende, por meio da Cultura, tornar os ambientes de saúde, como hospitais, CAP’s e unidades básicas de saúde, mais acolhedores, mostrando aos profissionais da saúde a importância de um trabalho mais humanizado, que contribui para a recuperação dos pacientes e para qualidade de vida dos servidores e do público que frequenta estes espaços.

De acordo com o secretário de Saúde do Distrito Federal, Rafael Barbosa, o HRC foi escolhido para a primeira etapa do Circuito porque é o hospital que tem hoje a maior porta de entrada da rede pública de saúde do DF.

“O número de atendimentos é grande, já que o hospital atende também a população do entorno. Então tem uma tensão muito grande no ambiente de trabalho, nas emergências e UTIs. Não foi a toa que escolhemos esta unidade para dar início ao projeto”, comentou Barbosa durante solenidade de abertura do projeto, realizada dia 29 de janeiro.

A técnica em Enfermagem Eliane Sales aprovou a iniciativa: “A ideia é excelente”, afirmou. Já a enfermeira Daniele Rodrigues acha que o projeto é importante para mudar a visão dos funcionários. “Com a nossa falta de tempo, se a cultura não vier até nós, não teremos acesso. Tudo o que contribui para a nossa saúde e nosso bem estar é saudável”, disse.

O técnico em Manutenção do HRC Samuel Araújo tem acesso a todos os setores do hospital, e afirma que as manifestações culturais, seja música, leitura, artes plásticas e cênicas, ajudam a diminuir a tensão do local. “É bom porque com tantos problemas e situações tristes que vivemos neste ambiente, ficamos preocupados e estressados. É bom também para sair um pouco da rotina”, enfatizou.

Samuel trabalhou 19 anos no Hospital Regional de Sobradinho (HRS). Para ele, a inserção da Cultura nos espaços de saúde é importante não só para os funcionários, mas também para os pacientes. “Traz resultados positivos e deixa um pouco de lado o aspecto negativo dos hospitais. Além disso, melhora a saúde e traz alegria. Os hospitais precisam urgentemente de Cultura”, opina.

Na próxima quarta-feira, 5 de fevereiro, às 15h, o palhaço Mandioca Frita se apresenta para as crianças na Pediatria do Hospital Regional da Ceilândia. A visita do artista dá continuidade ao Circuito de Ocupação Cultural para Saúde no hospital.