Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/02/13 às 19h51 - Atualizado em 13/11/18 às 14h38

Agremiações da elite do carnaval brasiliense esquentam a avenida e reúnem 10 mil pessoas na Passarela do Samba

COMPARTILHAR

Fogos de artifício anunciaram o início dos desfiles do grupo Especial às 20h.


A explosão de cores no céu e o barulho da sirene deram largada à maratona dos desfiles das seis escolas de samba do grupo Especial. A noite foi marcada pela alegria dos enredos e da plateia de 10 mil pessoas, no último dia de festa, na Passarela do Samba. Nessa terça-feira (12), Acadêmicos de Santa Maria, Mocidade do Gama, Acadêmicos da Asa Norte, Águia Imperial de Ceilândia, Aruc e Bola Preta de Sobradinho, disputaram o título de campeã do carnaval 2013. A apuração teve início às 15h de hoje, na Passarela do Samba.

A Acadêmicos de Santa Maria apresentou o enredo Parintins – Entre o azul e o vermelho. Qual é o seu? Ao passear sobre a festa dos bois Garantido e Caprichoso, a agremiação apresentou na comissão de frente índios em coreografia especial, com direito a muitas penas e plumas. Na disputa pelo troféu, a escola investiu nas 15 alas, três carros, 950 componentes e rainha de bateria, importada da Portela, do Rio de Janeiro. “Viemos para lutar pelo título”, afirmou o presidente da escola, Eurides Brutã.


A Mocidade do Gama entrou na avenida com avatares na comissão de frente. Com o enredo Energias iluminam o Gama no carnaval, a escola mostrou constelações, o Sol, zodíaco e bruxaria em alas ensaiadas e 800 integrantes.


Um mar vermelho e branco invadiu a avenida quando a Acadêmicos da Asa Norte desfilou o enredo A Asa Norte carinhosamente apresenta um chorinho bem brasileiro com três carros, 12 alas e mil componentes. Em busca do bicampeonato, a agremiação animou a plateia com samba de letra fácil. Torcedora da escola há vinte anos, a autônoma Eliane Santos, 43 anos, aguardava na plateia o marido e o filho saírem na escola. “Eu também já desfilei muitas vezes. A Acadêmicos é nossa escola do coração”, comentou.


Quarta agremiação a entrar na avenida, a Águia Imperial de Ceilândia revelou mitos, lendas, mistérios e histórias de alegria do carnaval. Anjos celestiais, o Triângulo das Bermudas e outras curiosidades foram representados na Passarela do Samba. A escola teve o maior número de carros, cinco no total. Com mil integrantes, a Águia Imperial desfilou com 14 alas.


Uma das escolas mais esperadas da noite, a Aruc, cantou o enredo O gavião apaixonado apresenta as três formas de amor. Romântica no samba e na avenida, a escola desfilou a ala do casamento com um par em especial. A cantora de samba Dhi Ribeiro comemorou bodas de 15 anos com o marido na passarela. “É muito importante essa comemoração porque nos conhecemos em um carnaval”, lembra. A Aruc atravessou a avenida com 16 alas, 1,2 mil componentes e três carros.

 

Última a passar pela Passarela do Samba, a Bola Preta de Sobradinho cantou o planeta fome de Elza Soares, em homenagem à cantora. Já na madrugada desta quarta-feira (13), a agremiação, que desfilou com 13 alas, 1,1 mil componentes e quatro carros alegóricos, levantou a arquibancada.


Carnaval da Harmonia – Presente na folia, o secretário de Cultura, Hamilton Pereira, destacou que a grandiosidade do carnaval 2013 é resultado do esforço dos blocos de enredo e escolas de samba. “É a concretização da harmonia onde tudo se encaixou: segurança, conforto e acessibilidade”. O clima de paz foi nítido entre os foliões. Até o fechamento desta edição, a Polícia Militar não registrou nenhuma ocorrência grave.

 

Fonte: Agência Brasília

Foto: Pedro Ventura