Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/02/14 às 20h28 - Atualizado em 13/11/18 às 14h45

Abertura do Carnaval terá dois blocos estreantes

COMPARTILHAR

Agremiações de Sobradinho II e Vicente Pires se apresentarão pela primeira vez na Passarela da Alegria

BRASÍLIA (21/2/14) – A abertura do carnaval brasiliense terá duas agremiações estreantes na Passarela da Alegria. Os blocos de enredo Coruja Serrana de Sobradinho II e Unidos do Vicente Pires entrarão pela primeira vez na avenida, no sábado (1º de março), quando também desfilarão o Projeto Colibri de São Sebastião, Acadêmicos do Riacho Fundo II e Mocidade do Valparaíso.

“Todas as escolas de samba começam com blocos, com uma quantidade menor de carros e componentes. Mas as expectativas são as melhores, porque todos estão trabalhando e correndo para surpreender este ano”, afirmou Adriano Gardini, diretor de Carnaval da União das Escolas de Samba e Blocos de Enredos do DF (Uniesbe).

Por se apresentarem pela primeira no carnaval, Coruja Serrana de Sobradinho II e Unidos do Vicente Pires terão que desfilar com recursos próprios por dois anos.

Em seguida, serão avaliados pela diretoria da Uniesbe e depois pelos presidentes das escolas de samba. Caso o resultado seja positivo, passarão a receber recursos do governo.

OS BLOCOS – Com seis alas, dois carros alegóricos e 300 componentes, a Coruja Serrana levará para a avenida o enredo “Festas, danças e folclore do Brasil”.

A Unidos de Vicente Pires desfilará o enredo “Sustentabilidade – O futuro a nós pertence”, com seis alas, 250 componentes e um carro alegórico.

A Acadêmicos do Riacho II apresentará “Uma festa em Angola – Do reino do fogo à liberdade”, com 11 alas, 260 componentes, dois carros e um tripé.

Já a Mocidade do Valparaíso defenderá o tema “Xangô – O rei da Justiça, força do fogo, o senhor das pedras, senhor das pedreiras todos os raios e a luz do poder”, com 10 alas, 180 componentes, dois carros e um tripé.

O Projeto Colibri entrará na Passarela da Alegria com o tema-enredo “O Colibri conta: os mitos e lendas da Amazônia encantada”, seis alas, um carro alegórico e cerca de 300 componentes.

Leia mais:

Vai ser preciso fôlego extra para maratona do carnaval de Brasília

(L.C./I.M*.)