Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/12/13 às 20h40 - Atualizado em 13/11/18 às 14h39

31ª Feira do Livro de Brasília supera expectativas

COMPARTILHAR


Avaliação positiva dos organizadores e parceiros consolida evento como um dos mais importantes do DF

A 31ª edição da Feira do Livro de Brasília marcou o reencontro da população do Distrito Federal com um dos eventos mais tradicionais da capital. Realizada entre os dias 23 de novembro e 1º de dezembro no Conjunto Cultural da República, a feira atraiu uma média de 15 mil visitantes por dia.

Na avaliação da subsecretária de Políticas do Livro e da Leitura da Secretaria de Cultura, Ivanna Sant’Ana, três elementos foram fundamentais para o sucesso do evento: a realização na Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), a parceria com a Secretaria de Educação e a reconstrução da relação entre o GDF e a Câmara do Livro, idealizadora da feira.

“Ações como a feira do livro são importantíssimas para que possamos consolidar o nosso Plano do Distrito Federal do Livro e da Leitura (PDLL)”, destacou Ivanna.

Segundo o presidente da Câmara do Livro, Ivan Valério, a reaproximação entre a entidade e o governo e o comprometimento de todos os envolvidos foram essenciais para a realização da feira. “Quem ganhou foi a comunidade. Brasília estava precisando disso”, avaliou.

Investimento


O GDF investiu cerca de R$ 1,3 milhão para a realização da feira. Destes, foram destinados R$ 900 mil para a compra de livros pela rede pública de ensino.

“A aquisição das obras seguiu recomendação pedagógica. Os livros vão aumentar o acervo das salas de leitura e das bibliotecas das escolas”, explicou a gerente do Livro e da Leitura da Secretaria de Educação, Cristiane de Salles Moreira dos Santos.

Outro ponto positivo apontado por Cristiane Santos foi o espaço aberto na programação para projetos literários de escolas públicas do DF e lançamentos de livros de alunos e professores.

Para o secretário-adjunto da Secretaria de Cultura, Miguel Ribeiro, a parceria entre o GDF e a Câmara do Livro trouxe um novo modelo de organização que contribuiu para o êxito da feira.

“A presença de um produtor cultural como Ricardo Moreira – idealizador do Festival Internacional de Bonecos –, foi fundamental porque desonerou a Câmara do Livro da operacionalização do evento, deixando-a livre para tratar da relação com os livreiros e a montagem da programação”, disse.


Cidade da Leitura


Com o tema Leitura, um Direito Fundamental, a 31ª Feira do Livro de Brasília reuniu, durante nove dias, contadores de história, escritores de Brasília, ilustradores, poetas, grupos de repentistas, saraus, cordelistas, atores, bonequeiros, palhaços e autores nacionais renomados.

De acordo com a organização, cerca de 70 mil títulos estiveram à venda nos 57 estandes funcionais. Para o coordenador-geral, Ricardo Moreira, um dos principais acertos foi a escolha da BNB para receber a feira.

“Várias atividades foram realizadas dentro da BNB e na estrutura montada ao lado. Ver os espaços da biblioteca sendo utilizados por crianças e jovens, gente chegando cedo para pegar senha para conversar com autores, foi emocionante. A BNB cumpriu a sua função social como espaço do livro e da leitura”, ressaltou.

O evento foi uma realização da Câmara do Livro do DF com as Secretarias de Estado da Cultura e da Educação do DF com apoio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Universidade de Brasília (UnB) e da Associação Nacional de Escritores (ANE).