Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/03/19 às 17h15 - Atualizado em 26/03/19 às 17h15

Cultura e Unesco debatem revitalização da Praça dos Três Poderes

COMPARTILHAR

O projeto de revitalização da Praça dos Três Poderes foi debatido nesta terça-feira (26) pelo secretário de Cultura, Adão Cândido, e pela diretora do escritório da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em Brasília, Marlova Noleto. A ação, que inclui ainda uma proposta de ressignificação do espaço, deve ser concluída para o aniversário de 60 anos da capital em 2020.

 

Já existe uma parceria entre a Secretaria de Cultura e a Unesco que visa a realização de estudos para reforma e adequações dos espaços e equipamentos tombados da capital. A Praça dos Três Poderes, ponto mais visitado pelos turistas que vêm à Brasília, será o primeiro local a receber as benfeitorias no piso e adequações de acessibilidade.

 

Adão Cândido reiterou a importância na realização de um estudo para melhorar a apresentação e tratamento das obras disponíveis no conjunto de espaços da praça: Museu Histórico de Brasília, Espaço Lúcio Costa e Panteão da Pátria Tancredo Neves. “São locais ricos em informação que contam a história de Brasília e do Brasil que precisam ser mais atrativos para a população local e para quem vem de fora”, disse.

 

Durante a reunião, o titular da Cultura manifestou preocupação com a falta de planejamento e investimento na conservação do patrimônio tombado. Segundo ele, o orçamento disponível para a manutenção dos espaços tombados não corresponde às responsabilidades patrimoniais exigidas. “É preciso desenvolver uma política pública efetiva para a manutenção adequada dos espaços, com previsão orçamentária e responsabilidade compartilhada entre o governo federal e o governo local”, pontuou.

 

A representante da Unesco lembrou que Brasília é reconhecida como cidade criativa pelo design e que a capital oferece uma infinidade de possibilidades de aproveitamento de seu potencial cultural e turístico, como a utilização de espaços públicos para a realização de exposições, feiras e eventos.  A revitalização da Praça dos Três Poderes, por exemplo, é o primeiro passo para “organizar a cadeia produtiva da Cultura, fomentando e valorizando o que já é produzido pelos artistas locais”.

Leia também...