Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/11/19 às 18h24 - Atualizado em 8/11/19 às 18h25

11º LoboFest leva o cinema contemporâneo ao Museu Vivo da Memória Candanga

COMPARTILHAR

 

Mostra, com entrada franca, traz diversidade de linguagens, atividades paralelas e produz inclusão

 

O LoboFest – Festival Internacional de Filmes realiza sua 11ª edição com a exibição de mais de 300 produções de 13 a 16 de novembro no Museu Vivo da Memória Candanga e na Capelinha da Metropolitana, ambos no Núcleo Bandeirante.

 

A programação conta também com mostra de cartazes de cinema, exposição de fotografias que retratam a história do Núcleo Bandeirante e projetos com escolas da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. O projeto é realizado por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

 

Filmes contemporâneos de mais de 50 nacionalidades dos cinco continentes, incluindo o Brasil, estão programados. Um dos destaques internacionais é o curta “Skin” (2018), de Guy Nattiv, vencedor do Oscar 2019 na categoria Melhor Curta Metragem, que será exibido pela primeira vez em no circuito de Brasília.

 

A grade conta com uma lista de curtas premiados recentemente do gênero, como Busam (Coréia), Clermont-Ferrand e Annecy (França) e o Doc-Lisboa. Os temas abordam comédias, cenas da vida cotidiana, histórias fabulosas e dramas sobre imigração, conflitos raciais e solidão nas grandes cidades. A temática LGBT também está presente.

 

O LoboFest inclui ainda as mostras Lobinho, Meu Pé de Laranja Lima, e De boa na Lagoa, voltados para crianças e adolescentes, em parceria com Programa Educativo do Museu. A mostra Lobo Azul é dedicada a crianças autistas. Haverá sessões com audiodescrição para contemplar o público com deficiência visual, temáticas de terceira idade e sessões adaptadas com tradutor em Libras para deficientes auditivos.

 

Brasil-Coréia e exposições
Em comemoração aos 60 anos de relações diplomáticas entre Brasil e Coreia, o Lobo Fest presta uma homenagem ao país asiático, cuja indústria cinematográfica é uma das mais conceituadas e premiadas na atualidade. Uma parceria da Secec com a Embaixada da República da Coréia traz quatro curtas premiados em festivais internacionais.

 

Em ação paralela, o Museu Vivo da Memória Candanga recebe a exposição “Cândido de Faria – Um Brasileiro em Paris”, com coletânea de 18 cartazes produzidos pelo artista para a Cinematográfica Pathé, maior companhia de cinema da época. A exposição faz um resgate cronológico de obras do acervo impresso em litografia, entre 1902 e 1911. Estará aberta para visitação de 12 de novembro a 20 de dezembro.

 

Outra exposição, “Narrativas Afetivas do Núcleo Bandeirante”, é composta de três acervos que dialogam entre si com a temática da memória, da afetividade e do registro do tempo. O primeiro núcleo é um extrato da exposição fotográfica “Brasília: Céu e Terra, de Joaquim Paiva”, com registros do Núcleo Bandeirante na década de 70.

 

Um segundo núcleo apresenta registros videográficos de narrativas afetivas do Núcleo Bandeirante, de Josiane Osório, cineasta e professora brasiliense. O projeto fez parte de um conjunto de homenagens aos 30 anos de tombamento de Brasília como patrimônio histórico. A partir desse conceito de patrimônio, se orienta a pré-história, lugares de memória e coesão social, histórias orais, cartas, objetos que retratam tessitura social.

 

Outra ação abre uma janela ao passado com ambientes reconstruídos com móveis e objetos que fazem parte do acervo histórico do Museu da Memória Viva Candanga, propondo reflexão entre memória, afeto e tempo.

 

Serviço
11ª Edição LOBOFEST – Festival Internacional de Filmes
Data: 13 a 16 de novembro
Locais: Museu Vivo da Memória Candanga (Via EPIA Sul, SPMS, Lote D – Núcleo Bandeirante – DF) e Capelinha da Metropolitana (Metropolitana – Núcleo Bandeirante)
Programação completa de filmes e classificação no site: http://lobofest.com.br
Entrada Franca uma reflexão entre memória, afeto e tempo.

Leia também...